ANUNCIE SUA EMPRESA AQUI

OBRIGADO POR VOSSA VISITA***

domingo, 7 de janeiro de 2018

Thomas Kuhn Contra Popper - O Fim da Ciência

Atos a favor de Lula põem Exército ‘em alerta’ MST convoca manifestações em julgamento no TRF-4 e série de mobilizações pelo País

Atos a favor de Lula põem Exército ‘em alerta’
MST convoca manifestações em julgamento no TRF-4 e série de mobilizações pelo País
ctv-dc1-lula--depoimento
Roberto Godoy e Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

O líder do Movimento dos Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, anunciou nesta sexta-feira, 5, por meio de um vídeo, que a Frente Brasil Popular pretende realizar atos em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante o julgamento do petista pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), no dia 24, em Porto Alegre. O tom da mensagem de Stédile “acendeu a luz de alerta” dos serviços de inteligência das Forças Armadas.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com integrantes do MST em maio do ano passado, antes de depor ao juiz Sérgio Moro, em Curitiba Foto: ALEX SILVA/ESTADÃO
As instituições acompanham as atividades de movimentos como o MST e de seus líderes, como Stédile, “dentro da agenda de trabalho de rotina em todo o País”, conforme disse o Estado nesta sexta-feira um oficial da área de inteligência. O alto comando das Forças recebe regularmente relatórios sobre ações dos grupos mais ativos.
Na convocação feita no vídeo, Stédile também afirmou que o MST e outros 87 grupos e partidos que integram a Frente Brasil Popular preparam, a partir de março, uma série de mobilizações em defesa do ex-presidente que vai culminar em ato para 100 mil pessoas no Maracanã, em julho. A partir de então, segundo Stédile, os movimentos vão transformar a campanha eleitoral em uma “luta de classes”.

Além de atos no TRF-4, no dia do julgamento que pode tornar Lula inelegível, Stédile anunciou manifestações diante de fóruns de cidades menores, “sobretudo da Justiça Federal nas capitais para demonstrar nossa indignação”. “Nosso foco não é apenas Porto Alegre”, disse João Paulo Rodrigues, companheiro de Stédile na coordenação nacional do MST.


O tom do discurso das organizações de esquerda tem endurecido nos últimos dois anos, desde que foi desencadeado o processo de impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff, avalia o militar, que, no entanto, não reconhece a existência de “um exército do MST”.

A preocupação é de que as manifestações possam evoluir para o confronto direto – e violento – com a polícia e, “pior, para a pressão além do limite sobre o Judiciário, sobre os magistrados principalmente”.
Outro motivo de apreensão é o choque entre organizações divergentes – como o Movimento Brasil Livre (MBL), apoiadores do deputado Jair Bolsonaro e os quadros do MST, no campo, ou do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), nas cidades.
No vídeo divulgado nesta sexta-feira, Stédile diz que a ideia é realizar, a partir de março, etapas do processo que ele chamou de “congresso do povo” em todos os municípios brasileiros. Em seguida, as propostas seriam levadas a encontros estaduais. “E, finalmente, depois da Copa do Mundo, lá pelo fim de julho, faremos o congresso do povo nacional em pleno Maracanã para juntar 100 mil, 120 mil militantes”, disse Stédile.


‘Resposta’. A partir do segundo semestre, conforme o líder sem-terra, o foco dos movimentos passa a ser “abraçar a candidatura de Lula que representa a simbologia da classe trabalhadora”. “Teremos um 2018 cheio de mobilizações, de muita disputa política em que a própria campanha eleitoral se transformará em uma verdadeira luta de classes”, disse Stédile.


De acordo com Rodrigues, as mobilizações devem sempre ter caráter pacífico. “Sempre procuramos minimizar qualquer tipo de conflito, até porque quem paga é o trabalhador”, afirmou. O objetivo, segundo ele, é dar uma “resposta política” ao avanço da direita. “Há uma radicalização por parte de vários setores, inclusive entre os militares. Se a gente não resistir eles engolem o campo democrático”, disse.

fonte...http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,atos-a-favor-de-lula-poem-exercito-em-alerta,70002140412

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

MOTIVACIONAL SGT ACIOLY 2018

Mais Médicos: cubanos entram na Justiça por salário integral e direito de ficar no país Até o momento, são 154 processos de médicos cubanos por causa de diferença no salário e para ficar no Brasil, segundo ministério. Quase 200 médicos cubanos alegam falta de igualdade para renovação de contrat


Mais Médicos: cubanos entram na Justiça por salário integral e direito de ficar no país

Até o momento, são 154 processos de médicos cubanos por causa de diferença no salário e para ficar no Brasil, segundo ministério. Quase 200 médicos cubanos alegam falta de igualdade para renovação de contrato.

Por Carolina Dantas, G1




Recepção de médicos do Mais Médicos em aeroporto de MG (Foto: Marcus Ferreira/SES-MG)


Pelo menos 154 ações são movidas na Justiça por 194 médicos de Cuba que vieram ao Brasil pelo programa Mais Médicos, de acordo com o Ministério da Saúde. Eles pedem para permanecer no país e receber o valor integral do salário que, pelo acordo estabelecido no programa, era transferido ao governo cubano e repassado apenas parcialmente aos profissionais.


As ações na Justiça são contra a Organização Panamericana de Saúde (Opas), intermediária do convênio, a União Federal e/ou o governo de Cuba. O caso foi publicado pelos jornais "The New York Times" e "O Globo".


O advogado André Santana Correa, que com dois sócios representa parte dos médicos em ações na Justiça Federal do Distrito Federal, diz que os cubanos alegam falta de igualdade de condições em relação aos brasileiros e estrangeiros, como os argentinos, ao não conseguir renovar por mais três anos a participação no programa.


O G1 teve acesso a dois processos em que o juiz decide a favor dos médicos, exigindo o restabelecimento no Mais Médicos e a continuidade do visto no Brasil.


O Ministério da Saúde informa que parte dos médicos cubanos consegue renovação, mas que isso fica a critério do governo de Cuba. Afirma ainda que os "profissionais [de Cuba] mantêm o vínculo de trabalho com seu país de origem. Assim, os médicos cubanos, pela cooperação, estão em missão no país -- diferente dos demais participantes que entraram no programa por meio de uma seleção via edital, e cujo vínculo é direto com o Ministério da Saúde do Brasil".


No acordo que trouxe os cubanos ao Brasil, ficou estabelecido que o governo brasileiro deve pagar os salários deles à Opas, que então os repassa ao governo de Cuba, que é responsável pelo contrato com os médicos.


Essa forma de pagamento é alvo de outro pedido nos processos movidos pelos cubanos. Eles querem o recebimento do valor integral pago pelo governo brasileiro. Desde o início do programa, o Ministério da Saúde transfere à Opas o valor de R$ 10.570, reajustado neste ano para R$ 11.520. Os profissionais cubanos então recebem cerca de R$ 3 mil -- o resto fica com o governo de Cuba.


O critério de isonomia (igualdade de condições), de acordo com as ações, não é respeitado neste caso, já que os médicos estrangeiros de outras nacionalidades, sem estarem no acordo de cooperação, recebem o valor integral. O Ministério da Saúde afirma que isso é uma interlocução dos cubanos com o governo de seu país (veja mais abaixo).

Refugiado


Alioski Ramirez Reyes, de 36 anos, trabalhou com o Programa Mais Médicos na cidade de Valparaíso de Goiás, a cerca de 40 km de Brasília, e conta que foi desligado pelo governo de Cuba em março deste ano. Ele conta que entrará em uma ação coletiva com outros colegas para trabalhar no Brasil.

“Um grupo numeroso de cubanos decidiu ficar no Brasil. Decidimos sair da exploração que a gente estava submetido. Então, o governo cubano entrou em desespero e, junto com o governo brasileiro, criou medidas”, disse.


Reyes diz que os governos não deixaram os cubanos participarem dos editais para fazer a renovação do contrato, inclusive nos casos em que os médicos eram casados com brasileiros. Em processos na Justiça, o G1verificou que alguns cubanos argumentam que não tiveram a oportunidade de solicitar a renovação do contrato no site do Ministério da Saúde.


O médico cubano diz que, devido às liminares no Judiciário brasileiro, o governo de seu país pediu ao Ministério da Saúde do Brasil para que os médicos envolvidos em processos não fossem recebidos em outros tipos de contrato.
Médico cubano em Valparaíso de Goiás (Foto: Arquivo Pessoal)
Reyes diz que foi acusado "de forma agressiva" pelos coordenadores cubanos do programa a quem respondia. Ele afirma também que chegou a receber um documento do Ministério da Saúde dizendo que havia abandonado o posto de trabalho.


Sem querer voltar ao país de origem, entrou com pedido na Polícia Federal para virar um refugiado, encaminhado ao Ministério da Justiça. Ele usa um documento provisório até a saída da decisão.


"Isso aconteceu em abril, e eu trabalhei até o mês de junho sem receber a bolsa formação, só com a ajuda do município. Não conseguia mais entrar no sistema de gerenciamento do Mais Médicos. Eu fiquei refugiado político no Brasil, sem endereço, depois de três anos de trabalho".

Em missão


O Ministério da Saúde explica que os profissionais cubanos, por terem o vínculo de trabalho com seu país de origem, ao deixarem o programa, se não tiverem outro vínculo com o Brasil, como cônjuge brasileiro, por exemplo, têm de sair do país.


"Sobre os valores pagos, essa é uma interlocução entre os profissionais e o governo de Cuba. Além de os médicos cubanos continuarem recebendo o salário mensal em Cuba pelo fato de estarem em missão internacional, eles recebem também uma bolsa complementar no Brasil e os auxílios moradia e alimentação das prefeituras, os mesmos benefícios que recebem os outros médicos que participam do programa", explicou o ministério.


A Opas informou ao G1 que os médicos cubanos são funcionários do Ministério da Saúde de Cuba. A organização, braço da Organização Mundial da Saúde no Brasil e nas Américas, diz que "tem conhecimento de que eles mantêm todos seus direitos e benefícios sociais que as leis cubanas garantem, incluindo salário, benefícios sociais, entre outras coisas." Além disso, afirma que todos os recursos que recebem para pagar a bolsa dos médicos é totalmente enviado ao país dos médicos.


O G1 entrou em contato com a embaixada de Cuba no Brasil por e-mail e por telefone, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Mudança de perfil


O Programa Mais Médicos, criado em 2013, ainda na presidência de Dilma Rousseff, está mudando o perfil de seus profissionais: o governo de Michel Temer quer substituir os cubanos da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) por brasileiros.


O número de médicos brasileiros aumentou 44% em menos de um ano, de acordo com o Ministério da Saúde. Na última terça-feira (3), 1.375 novos profissionais do Brasil formados no exterior foram contratados.


No entanto, 47,1% (8,6 mil) dos médicos do programa ainda são cubanos -- 45.6% com nacionalidade brasileira e 4,16% são intercambistas estrangeiros de outros países. São 18.240 vagas em 4 mil municípios do Brasil.
Mais Médicos
Maior grupo entre os 18,2 mil profissionais é de cubanos (em porcentagem)
Cubanos: 47,11Brasileiros: 45,59Outras nacionalidades: 4,16Em substituição: 3,14
Fonte: Ministério da Saúde


O governo brasileiro diz abertamente que "está abrindo oportunidades para a substituição de médicos da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas)" e que "a expectativa é realizar 4 mil substituições em três anos". De acordo com o ministério, até o momento, mais de mil postos foram substituídos por brasileiros.


Apesar disso, o Ministério da Saúde diz que "a decisão sobre a permanência ou o retorno de funcionários em missão internacional cabe ao governo de Cuba."


No entanto, o governo explicou que "os médicos cubanos da cooperação que encerram o período de três anos de atuação no Programa estão sendo substituídos por novos profissionais. Existe a possibilidade de prorrogação da permanência dos médicos cooperados que tenham se casado formalmente (ou reconhecido união estável) no Brasil."

FONTE G1

Porto Alegre prepara esquema de segurança para receber manifestantes durante julgamento de Lula


Porto Alegre prepara esquema de segurança para receber manifestantes durante julgamento de Lula
por Thaísa Oliveira

Fachada do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre (Foto: Reprodução Google)

A Secretaria de Segurança Pública de Porto Alegre vai montar um gabinete especial nesta quarta-feira (3) para definir as estratégias de segurança durante o julgamento do ex-presidente Lula na cidade em 24 de janeiro.
 
O comandante de policiamento da capital, Coronel Jacques, afirma que a polícia tem monitorado as mobilizações que estão sendo organizadas pela Internet, mas diz que ainda não há estimativas do número de manifestantes que Porto Alegre deve receber até a sessão.


Segundo o diretório do PT no Rio Grande do Sul, os manifestantes devem chegar à cidade em número expressivo a partir do dia 20, com a instalação do acampamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST).


Na quinta-feira (28), à pedido do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça proibiu que o grupo se acampasse no Parque Harmonia, que fica em frente ao prédio do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), mas liberou o local para manifestações.


Além do ato durante o julgamento, o Partido dos Trabalhadores conclama a militância para participar do “Dia Nacional de Mobilização”, em 13 de janeiro, e prevê protestos na capital até o dia 25, um dia após a data marcada pelo TRF4, “independentemente do resultado”.

“A agenda da CUT foi divulgada em Porto Alegre e, a princípio, não há nenhuma animosidade prevista. Nós vamos garantir que não haja impacto na vida normal da cidade”, afirma o comandante.
http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/a-protagonista/2018/01/03/porto-alegre-prepara-esquema-de-seguranca-para-receber-manifestantes-durante-julgamento-de-lula/

Terreiro de candomblé é depredado e incendiado em Luziânia





Terreiro de candomblé é depredado e incendiado em Luziânia

Um terreiro de candomblé foi depredado e incendiado em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. De acordo com a Polícia Civil, a principal suspeita é que o ataque tenha sido uma manifestação de intolerância religiosa. Na propriedade moram 14 pessoas da mesma família, mas, felizmente, ninguém se feriu.

Segundo a delegada Caroline Matos, a polícia vai fazer perícia no terreiro para tentar identificar pistas para tentar identificar suspeitos. Até a publicação desta reportagem ninguém havia sido preso. Ela investiga a hipótese de o incêndio tenha sido criminoso e praticado por alguém que já conhecia o local.

“A primeira linha de investigação é justamente a questão da intolerância religiosa. A gente não pode fazer afirmativas ainda de que tenha sido mesmo o que aconteceu”, afirmou.

Local teve objetos quebrados e revirados, em Luziânia (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

O ataque ocorreu na madrugada de quarta-feira (22). A sala onde ficavam as imagens e orixás foi destruída pelo fogo. Em um anexo onde fica a cozinha, objetos foram revirados e quebrados. As roupas usadas nas celebrações religiosas foram reviradas. A família acredita que os criminosos não colocaram fogo nas roupas porque não tiveram tempo.


A mãe-de-santo Rosimeire Correia disse que o fogo começou no meio da noite, quando todos já estavam dormindo. Ela conta que esta é a segunda vez que o terreiro é alvo de ataques. A primeira vez ocorreu em 2013, quando criminosos agiram da mesma forma, quebrando objetos e incendiando o local.

“Como se tivesse muita coisa e pegou fogo muito rápido”, contou.
A dona de casa Viviane Correia mora na propriedade e afirma que tem medo de que ela e a família sejam alvos de agressões e de intolerância. “Danos materiais se vão, mas a gente recupera de novo. E se acontecer com a gente uma repressão pior?”, desabafou.
  G1 Goiás.



Terreiro em Luziânia já foi alvo de depredação em 2013 (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)
  Família de 14 pessoas moram na propriedade onde ocorreu o ataque, em Luziânia (Foto: TV Anhanguera/Reprodução) 

fonte G 1 GOIÁS

Dono de distribuidora é preso em Goiás suspeito de comprar petróleo furtado de dutos da Petrobras no RJ Amaral Alves Pedro é um dos presos na Operação Conexão Clandestina, que cumpriu mandados em Luziânia, Santo André e em cidades do interior do Rio de Janeir


Dono de distribuidora é preso em Goiás suspeito de comprar petróleo furtado de dutos da Petrobras no RJ
Amaral Alves Pedro é um dos presos na Operação Conexão Clandestina, que cumpriu mandados em Luziânia, Santo André e em cidades do interior do Rio de Janeiro.
Por Murillo Velasco, G1 GO


Preso em Goiás dono de distribuidora suspeito de comprar petróleo em mais de 50 municípios

O empresário Amaral Alves Pedro, dono de uma distribuidora de combustíveis em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, foi preso, na quarta-feira (22), suspeito de comprar petróleo furtado de dutos da Petrobras, no Rio de Janeiro. De acordo com a Polícia Civil, Amaral processava o produto furtado e revendia para outras empresas. Outras 14 pessoas são suspeitas de participar do esquema.

De acordo com o delegado Danilo Martins, a polícia calcula que a quadrilha desviou, só este ano, 30 milhões de litros de petróleo. "Na empresa foram localizados vários documentos relativos à negociação de petróleo. O proprietário da empresa, além da investigação que corre contra ele no Rio de Janeiro, responderá em Luziânia por receptação de produto roubado", disse.
 


A defesa do empresário informou à TV Anhanguera que Amaral é inocente e não tem qualquer tipo de envolvimento com a quadrilha.

A prisão do empresário ocorreu na manhã de quarta-feira, e integra a Operação Conexão Clandestina, que cumpriu 14 mandados de prisão em Goiás, Rio de Janeiro e São Paulo. As investigações foram conduzidas pelo Ministério Público fluminense e paulista, pelas polícias Civis dos estados, com o apoio do MP-GO e da polícia goiana.





Empresário Amaral Alves Pedro preso na Operação Conexão Clandestina em Goiás (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)
Martins afirmou que foram recolhidas amostras de óleo, que serão analisadas no laboratório da Petrobras em Betim, em Minas Gerais. O resultado destes testes deve sair nesta quinta-feira (23).
Em nota ao G1, a assessoria da Petrobras informou que não vai se pronunciar sobre o caso.
De acordo com a investigação, o petróleo era furtado diretamente de dutos da Petrobras Transporte (Transpetro). Segundo o MP, os locais de passagem dos dutos da Transpetro mais acessíveis eram identificados pela quadrilha e alguns dos integrantes, então, instalavam uma válvula para desviar o material diretamente aos caminhões, que, depois, seguiam para refinarias clandestinas, entre elas, a distribuidora de Luziânia. A apuração do furto começou depois que um caminhão carregado com petróleo cru foi apreendido depois de atolar em Magé, na Baixada Fluminense. Conforme o Ministério Público, no veículo foi encontrada uma nota fiscal fria passada pela empresa de propriedade do líder da organização. Os envolvidos foram denunciados por organização criminosa, furto qualificado, receptação e falsidade ideológica.

 


Operação apura furto de petróleo de dutos da Petrobras (Foto: TV Globo/Reprodução)


Organização
Gilberto Ravarola Corrêa foi preso no Rio de Janeiro suspeito de ser o líder da organização criminosa. De acordo com a Polícia Civil, em uma mala que estava no carro dele foram encontradas ferramentas usadas para fazer as perfurações nos dutos. O irmão dele, Cassiano Rivarola, também foi preso, em uma casa de luxo de São Paulo.

Na Baixada Fluminense, um policial militar do Batalhão de Duque de Caxias foi preso apontado de ser ajudante de Gilberto. Todos os envolvidos negaram participação no esquema ao serem presos e ouvidos na delegacia.



Na região, investigadores identificaram um duto com 180 furos. Um vídeo feito pelos próprios criminosos mostram o momento em que uma retroescavadeira é usada para fazer as perfurações (veja vídeo abaixo).




Polícia e Ministério Público realizam operação contra roubo de dutos de petóleos
G1 Goiás.

Jovem é preso por matar amigo após discussão, em Luziânia Segundo Polícia Civil, autor do crime denunciou morte da vítima à corporação alegando que havia achado corpo, mas acabou confessando assassinato ao ser interrogado.




Jovem é preso por matar amigo após discussão, em Luziânia
Segundo Polícia Civil, autor do crime denunciou morte da vítima à corporação alegando que havia achado corpo, mas acabou confessando assassinato ao ser interrogado.

Por Vanessa Martins, G1 GO

 

Justino Rodrigues dos Snatos, de 47 anos, foi morto em Luziânia (Foto: Divulgação/Polícia Civil)


A Polícia Civil prendeu um jovem de 25 anos suspeito de matar o amigo de longa data Justino Rodrigues dos Santos, 47. Conforme a corporação, os dois estavam bebendo juntos quando se desentenderam, começaram a brigar e a vítima foi afogada em uma grande poça, em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, na última quinta-feira (7).

O delegado Maurício Passerini, responsável pelo caso, contou que o autor foi à delegacia, logo após o crime, e denunciou que encontrou seu amigo morto. No entanto, a Polícia Civil apurou que ele era o principal suspeito e jovem acabou confessando.

“Ele procurou a polícia pedindo ajuda, que o amigo dele tinha sido morto por outra pessoa. Ele nos levou até o local do crime, muito ermo, uma situação estranha. Não tinha como ele ter as informações que ele tinha sem ter participado. Ele estava embriagado e, depois de uma hora de conversa, ele confessou”, disse ao G1.

Passerini contou que uma testemunha havia encontrado com os dois horas antes do crime e relatou que eles foram sozinhos para o local onde o corpo foi achado.

Ainda conforme o delegado, o autor está preso em flagrante e pode ter a prisão convertida em preventiva, mas ainda deve passar por audiência de custódia. O Instituto Médico Legal (IML) ainda realiza exames para confirmar a real causa da morte da vítima.

  G1 Goiás.

Homem é preso suspeito de abusar da filha de 9 anos, em Luziânia, GO


Homem é preso suspeito de abusar da filha de 9 anos, em Luziânia, GO
Segundo polícia, crime ocorreu pelo menos cinco vezes nos últimos quatro meses. Delegado afirmou que pai confessou atos logo após ser detido.
Por Sílvio Túlio, G1 GO




Homem é preso suspeito de abusar da filha de 9 anos em Luziânia (Foto: Divulgação/Polícia Civil )

Um homem de 26 anos foi preso nesta sexta-feira (29) suspeito de abusar sexualmente da própria filha, de 9, em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. De acordo com a Polícia Civil, ele confessou o crime logo após ser detido.

O delegado Danillo Martins, responsável pelo caso, disse que os abusos ocorreram por pelo menos cinco vezes nos últimos quatro meses, sempre na casa onde ambos moravam.

"A mãe notou um comportamento diferente da filha, que acabou revelando o que havia. Ela então se separou e denunciou o caso à polícia. Nós representamos pela prisão e a Justiça acatou", disse o delegado ao G1.

Martins explicou ainda que não há indícios de que a mãe sabia do crime. O suspeito tem outra filha fora do relacionamento, no entanto, quase não possui contato com ela e, portanto, não há qualquer evidência que a outra garota também seja vítima.

O pai foi detido e encaminhado para a Casa de Prisão Provisória (CPP) de Luziânia. Ele deve ser indiciado por estupro de vulnerável e se for condenado pode pegar uma pena de 8 a 15 anos.

  G1 Goiás

Homem suspeito de estuprar a filha cega é preso, em Morrinhos


Homem suspeito de estuprar a filha cega é preso, em Morrinhos
A menina tem sete anos e relatou os abusos para a madrinha, que procurou a polícia
Kayque Juliano
Do Mais Goiás

Homem foi preso e encaminhado ao presídio da cidade. (Foto: Polícia Civil) 


A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira (2), em Morrinhos, Sul do Estado, um homem suspeito de estuprar a própria filha, de 7 anos. A menina, que é cega, relatou os abusos para a madrinha, que procurou a polícia.


Segundo o delegado Fabiano Jacomelis, a menina morava com o pai e a madrasta. Nessas férias, a garota foi para a casa da madrinha, que notou um comportamento estranho e a menina acabou por relatar o estupro.

A criança fez os exames médicos que comprovaram a denúncia. Mas ela não conseguiu precisar, segundo o delegado, há quanto tempo os abusos aconteciam.

O pai foi preso e já está no presídio da cidade. A criança está morando com os padrinhos. 

fonte g1 

Comitiva fez a inspeção na manhã desta quarta-feira. (Foto: Paula Resende/G1) 


TJ faz vistoria no Complexo Prisional do Regime Semiaberto de Aparecida de Goiânia
Inspeção durou 1h30 e representantes encontraram o prédio bastante destruído por causa da rebelião de segunda-feira (01)
Do Mais Goiás

Comitiva fez a inspeção na manhã desta quarta-feira. (Foto: Paula Resende/G1) 
 

Após a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, determinar nesta terça-feira (2) que o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) envie ao conselho, em 48 horas, relatório sobre as condições do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás informou que o local será vistoriado hoje (3), às 8h30.

De acordo com a secretaria, a unidade prisional passou por uma revista padrão no fim de outubro de 2017.

A determinação da ministra foi dada após uma rebelião na unidade nessa segunda-feira (1°), que resultou em nove mortes e 99 foragidos. De acordo com a Superintendência Executiva de Administração Penitenciária de Goiás, os presos da Colônia Agroindustrial, do regime semiaberto, que estavam na ala C do complexo prisional, invadiram as alas A, B e D, o que levou ao confronto entre grupos rivais.

De acordo com órgão estadual, a situação no momento está controlada e os detentos feridos já receberam atendimento médico e retornaram para a unidade. 

fonte é mais goias

Se for preso, Lula tem direito a uma cela especial, mesmo sem ter diploma Ex-presidente não fez faculdade, mas recebeu diversos títulos de doutor honoris causa

Se for preso, Lula tem direito a uma cela especial, mesmo sem ter diploma
Ex-presidente não fez faculdade, mas recebeu diversos títulos de doutor honoris causa


 
Ex-presidente Lula é doutor honoris causa por instituições como Universidade de Coimbra e Instituto de Estudos Políticos de Paris, conhecido como “Sciences Po”. Yasuyoshi Chiba/AFP

No Brasil, quem fez curso superior tem direito a aguardar o julgamento definitivo por supostos crimes em uma cela especial. Réu em três ações penais e indiciado pela Polícia Federal em mais dois casos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não tem curso superior, mas juristas explicam que ele terá direito a uma sala diferenciada em caso de prisão, seja pelos títulos de doutor honoris causa, seja pelas prerrogativas como ex-presidente.

Nunca foi tão importante estar bem informado.Sua assinatura financia o bom jornalismo.


EXPERIMENTE POR R$ 0,99 NO 1º MÊS
O Código de Processo Penal (CPP) prevê no artigo 295 que os “diplomados por qualquer das faculdades superiores da República”, magistrados, governadores, prefeitos, parlamentares, ministros de confissão religiosa, entre outros têm direito a serem recolhidos em “quartéis ou a prisão especial”.


Para José Carlos Portella Jr., professor de Direito Processual Penal do UniCuritiba, mesmo sem a necessidade de que se faça um curso para receber o título de doutor honoris causa, o documento é um diploma expedido por uma instituição de curso superior e, por si só, garantiria a Lula uma cela especial. Ele recebeu o título de pelo menos sete universidades, no Brasil e no exterior, como a Universidade de Coimbra e o Instituto de Estudos Políticos de Paris, conhecido como “Sciences Po”.

veja também
Com casos recentes de ativismo judicial, STF estaria passando dos limites
Todos são réus: Renan não, mas Lula e Bolsonaro podem ser presidentes
Veja como cada ministro votou sobre a permanência de Renan à frente do Senado




O advogado criminalista Adib Abdouni discorda desse entendimento e aponta que é preciso ter colado grau para ter direito a uma cela diferenciada. Para o penalista Daniel Bialski, o direito só pode ser concedido a quem de fato fez o curso em uma faculdade.


Mas independentemente do curso superior, os dois advogados concordam que Lula teria direito a uma cela especial como ex-presidente da República. A medida seria tanto uma garantia à sua integridade física, quanto um procedimento para garantir a segurança nacional.


Bialski explica que, como os crimes que podem levar Lula a ser preso são relacionados a seu período na Presidência da República, a lei retroage em favor do réu, garantindo a ele as prerrogativas de chefe de Estado.


“Lula, por ser ex-presidente, tem benefícios. Não foi deposto, tem carro e funcionários à disposição, tem pensão vitalícia. E, se eventualmente for condenado por crime, não vai ser em um lugar normal. Provavelmente vai para uma cela especial, em um quartel”, diz Abdouni.
Prática


O professor Portella explica que, após a condenação, o cumprimento da pena ocorre junto com os presos comuns. A diferenciação é apenas enquanto o processo tramita. E mesmo investigados que não se enquadrem nas especificações do CPP podem ficar em celas separadas para garantir sua integridade física. Isso ocorre com suspeitos de estupro, por exemplo.


Na Operação Lava Jato, os investigados, independentemente da formação, estão ficando em celas separadas dos demais presos tanto na sede da Polícia Federal quanto no Complexo Médico de Pinhais.


O professor do UniCuritiba ressalta que a cela especial não deve ter nada de diferente da cela normal, apenas os presos devem ficar separados . “As pessoas ouvem cela especial e imaginam que vai ter mais conforto. Não tem. Não é um lugar com tevê e frigobar. Deve ser uma cela como qualquer outra”, diz Portella.


Já houve no Congresso Nacional debates para que sejam reduzidas as situações que garantem a cela especial. Mas Abdouni defende que em alguns casos a exceção seja mantida. “Juízes ou policiais poderão, eventualmente, encontrar alguém que mandaram prender. A cela especial é uma maneira de garantir a integridade física deles”, argumenta o advogado.


Bialski lembra que o Estatuto da Advocacia também garante que advogados tenham direito a cela especial. E, caso não haja estrutura adequada, para que os profissionais sejam presos “com instalações e comodidades condignas”, a lei prevê que eles fiquem em prisão domiciliar.


Conheça a Lei
Código de Processo Penal


Art. 295. Serão recolhidos a quartéis ou a prisão especial, à disposição da autoridade competente, quando sujeitos a prisão antes de condenação definitiva:


I - os ministros de Estado;


II – os governadores ou interventores de Estados, ou Territórios, o prefeito do Distrito Federal, seus respectivos secretários e chefes de Polícia;


II - os governadores ou interventores de Estados ou Territórios, o prefeito do Distrito Federal, seus respectivos secretários, os prefeitos municipais, os vereadores e os chefes de Polícia; (Redação dada pela Lei nº 3.181, de 11.6.1957)


III - os membros do Parlamento Nacional, do Conselho de Economia Nacional e das Assembléias Legislativas dos Estados;


IV - os cidadãos inscritos no “Livro de Mérito”;


V - os oficiais das Forças Armadas e do Corpo de Bombeiros;


V – os oficiais das Forças Armadas e os militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios; (Redação dada pela Lei nº 10.258, de 11.7.2001)


VI - os magistrados;


VII - os diplomados por qualquer das faculdades superiores da República;


VIII - os ministros de confissão religiosa;


IX - os ministros do Tribunal de Contas;


X - os cidadãos que já tiverem exercido efetivamente a função de jurado, salvo quando excluídos da lista por motivo de incapacidade para o exercício daquela função;


XI - os guardas-civis dos Estados e Territórios, ativos ou inativos.


XI - os delegados de polícia e os guardas-civis dos Estados e Territórios, ativos e inativos.


§ 1º A prisão especial, prevista neste Código ou em outras leis, consiste exclusivamente no recolhimento em local distinto da prisão comum.


§ 2º Não havendo estabelecimento específico para o preso especial, este será recolhido em cela distinta do mesmo estabelecimento.


§ 3º A cela especial poderá consistir em alojamento coletivo, atendidos os requisitos de salubridade do ambiente, pela concorrência dos fatores de aeração, insolação e condicionamento térmico adequados à existência humana.


§ 4º O preso especial não será transportado juntamente com o preso comum.


§ 5º Os demais direitos e deveres do preso especial serão os mesmos do preso comum.

5a DRPC: PC-GO (2a DP) prende 02 (dois) suspeitos de "tentativa de homicídio qualificado", em LUZIÂNIA.

Rodrigo Mendes
5a DRPC: PC-GO (2a DP) prende 02 (dois) suspeitos de "tentativa de homicídio qualificado", em LUZIÂNIA.
🚨🚨🚨🚨🚨🚨🚨🚨

Na data de hoje dia 03/12/17, a Polícia Civil do Estado de Goiás / PC-GO, por intermédio da 2a DP de Luziânia (J. Ingá), deu cuprimento a mandado de prisão preventiva em desfavor de Waldeilson Santos Trindade e Davi Costa Santos pelo crime de tentativa de homicídio.

Após uma discussão entre a vítima do crime (B.C.S) e sua namorada, a dupla (Davi e Waldeilson) teria tomado as dores da moça - a qual apanhava - razão pela qual atentaram contra a vida de B.C.S, efetuando um disparo de arma de fogo calibre.12, porém, sem sucesso.

Segundo as investigações, após alguns meses do primeiro crime, Davi e Waldeilson teriam atentado novamente contra vida de B.C.S, ocasião em que efetuaram cinco disparos de arma de fogo calibre 38, vindo a atingir a vítima por três vezes.
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e close-up
A PC-GO (2a DP/Luziânia), comandada pela delegada de polícia Caroline Matos Barreto, representou pela prisão preventiva da dupla junto ao Poder Judiciário, o qual deferiu a medida cautelar e, na data de hoje, a mesma foi cumprida.

Os investigados, após os procedimentos de praxe, foram recolhidos na Cadeia Pública de Luziânia-GO.


Caso você reconheça os presos por crimes praticados na região, denuncie para PC-GO:
61 3623-1133
61 3623-2071
🚨🚨🚨🚨🚨🚨🚨🚨
Delegada responsável: Caroline Matos.

ACIOLLY ENTORNO SUL 190

sgtaciolly.blogspot.com/


sábado, 30 de dezembro de 2017

FELIZ ANO NOVO OBRIGADO AMIGOS E AMIGAS POR 04.847.765 visualizações.

OBRIGADO AMIGOS E AMIGAS POR  04.847.765 visualizações.  QUE POSSAMOS CONTINUAR CAMINHANDO JUNTOS NESSE ANO QUE SE INICIA DESEJO A TODOS UM FELIZ 2016.


 
Quando criei essa pagina foi com o objetivo de trazer informações da luta classista e proatividades da Caserna, o nosso publico alvo era os Militantes Pelas pecs da SEGURANÇA PUBLICA NA CÂMARA FEDERAL EM BRASÍLIA Dentre outras a pec 300 , emenda constitucional que versa sobre a Criação do piso nacional. 
Nessa época ainda sem conhecimentos e com pouca experiência em Política de Articulação.       Vivi momentos de angustia com a incerteza de que esse tão sonhado e ousado projeto pelo Piso fosse votado com o objetivo de fazer justiça aos Policiais Militares e Policiais Civis de nosso estado e Território Nacional. 
Certezas e incertezas 
A dispersão e as profundas incertezas são marcas que evidenciam uma tendência fundamental de nossa humanidade atual.

Nós já não temos tantas certezas quanto outrora, em que havia verdades indiscutíveis que supostamente pudessem nos trazer um resultado satisfatório com relação aos Projetos apresentados em beneficio a segurança publica e seus servidores.    Muitos articuladores da época hoje são detentores de mandatos e isso fortalece a luta por melhorias para Servidores e também Segurança Publica para o cidadão de bem.
O projeto foi votado em primeiro turno fizemos aquela festa e apostamos que em tempo recorde nosso projeto passaria em segunda votação. Em pleno ano eleitoral com muitas promessas e palavras de incentivos fomos enganados por aqueles que queriam e fizeram de nossos sonhos um trampolim para a ascensão e crescimento pessoal na Política Nacional , arquivaram nosso tão sonhado projeto de um piso Justo e Digno para nossos Policiais de todo o Brasil. 
Postei sobre temas diversos ,bem como assuntos Polêmicos que vai de Política de Articulação Classista a Noticias Policiais de todo o Brasil. Cometi erros que se possível não o faria mais. Opinei em assuntos e em campos polêmicos onde hoje jamais iria impor minhas opiniões pessoais .
Como a vida é um eterno aprendizado e busca a perfeição estou buscando com bastante humildade , melhorar os conteúdos e posts a serem levados aos nossos leitores. 
Ouvi Muitas Criticas e sugestões que me levaram a apostar e optar pela imparcialidade em transparência nas Informações, busco ouvir e direcionar matérias e assuntos diversos onde quem conduz e faz a noticia de nosso informativo é Você leitor. 
Por atuar e viver na região Metropolitana a região denominada Entorno Sul de Brasília, mudamos o foco de nossas postagens.    Assuntos e Fatos do cotidiano de Nossa Região,  nosso Publico hoje tem ultrapassado os limites geográficos e temos assiduamente visitantes de todo pais bem como de outros continentes. 
Já não nos limitamos a assuntos apenas de uma categoria ou classe porém buscamos não distanciar do assunto Segurança Publica de Qualidade Pelo Povo e para o Povo, e levar a informação com responsabilidade e imparcialidade é sim o nosso grande Objetivo e foco .
Sou Grato a Deus e a Você que visita e participa de nosso blog ,foram

04.847.765 milhões de  visitas até DEZEMBRO DE 2018.  Quero lhes agradecer  você leitor  e leitora que de  forma direta ou indireta tem contribuído,  pois Você leitor é a real motivação e evidencia de que podemos continuar existindo. Muito obrigado por tudo ,OBRIGADO AMIGOS .

QUE POSSAMOS CONTINUAR CAMINHANDO JUNTOS NESSE ANO QUE SE INICIA DESEJO A TODOS UM FELIZ 2018. 

A DEUS TODA HONRA TODA GLORIA ***
ACIOLLY ENTORNO SUL 190
sgtaciolly.blogspot.com/

Curiosidades da Mega: bolas são da França; bilhete premiado vira dossiê Prêmio só é pago a quem tiver o nome e CPF anotados no verso da aposta. Papel usado em bilhetes é térmico, e dados são preservados por cinco ano.


Curiosidades da Mega: bolas são da França; bilhete premiado vira dossiê

Prêmio só é pago a quem tiver o nome e CPF anotados no verso da aposta.
Papel usado em bilhetes é térmico, e dados são preservados por cinco anos.

Raquel MoraisDo G1 DF
Cartelas de jogos de loterias. Mega-Sena. loteria, sorte, prêmio, dinheiro, bolada, riqueza, dinheiro. -HN- (Foto: Caio Kenji/G1)Cartelas de jogo da Mega-Sena (Foto: Caio Kenji/G1)
O 1.775º sorteio da Mega-Sena acontece nesta quinta-feira (31), e o prêmio é alto: R$ 280 milhões. Você sabia que as bolas usadas no sorteio são feitas na França e passam por inspeção a cada dois meses? E que bilhete premiados são obrigatoriamente entregues à Caixa e enviados a um arquivo, onde ficam por dez anos?

G1 levantou algumas curiosidades a respeito da loteria. É mais fácil, por exemplo, ser atingido pela peça de um avião caindo do que acertar as seis dezenas. Além disso, não é necessário abrir conta no banco para receber o grande prêmio.
 




- O papel para impressão dos bilhetes é térmico de alta sensibilidade. Ele tem uma camada especial, na cor branca, que impede a degeneração da imagem impressa e preserva os dados impressos por no mínimo cinco anos. É preciso, porém, tomar alguns cuidados: evitar exposição do papel à luz do sol, lâmpadas fluorescentes, fontes de calor, umidade excessiva e óleo ou outros produtos químicos;

- O prêmio só é pago à pessoa que tiver o nome completo e CPF anotados no verso do bilhete premiado. Se o ganhador não puder fazer a retirada, ele poderá nomear um procurador. Caso o apostador morra, é necessário que herdeiros tenham um alvará judicial autorizando o saque;

- Prêmios de até R$ 1.903,98 -- inferiores ao limite de isenção do Imposto de Renda -- podem ser retirados em lotéricas;

- A validação de bilhetes premiados ocorre em três etapas: inclusão dos dados da aposta e do ganhador em um sistema, por um servidor da Caixa habilitado para isso; autorização de um gerente; e "conformidade prévia", quando um departamento recebe o dossiê de pagamento, verifica a documentação e o registro das informações e então registra no sistema a autorização para pagamento;

- Prêmios inferiores a R$ 10 mil são pagos no mesmo dia. Prêmios maiores podem levar dois dias a mais para serem pagos;

- O ganhador pode receber o dinheiro em forma de crédito em conta, cheque administrativo, transferência eletrônica ou em espécie;

- Depois que o ganhador recebe o prêmio, o bilhete é recolhido pela Caixa. Ou seja: o apostador não pode guardá-lo para coleção ou lembrança;

- Os bilhetes premiados são guardados em um arquivo, junto com as cópias da documentação do ganhador. Eles ficam disponíveis para consulta por dez anos. Após o prazo, o dossiê é descartado pela Caixa;

- As bolas da Mega-Sena são feitas na França e passam por avaliação bimestral do Inmetro;

- As chances de acertar as seis dezenas são de 1 em 50 milhões. É mais fácil ser canonizado (probabilidade de 1 em 20 milhões) ou ser atingido pela peça desprendida de um avião em voo -- 1 em 10 milhões.

- O prêmio da Mega da Virada não acumula. Se ninguém acertar os seis números, ele é dividido entre os que acertam cinco e assim sucessivamente.

- A Mega-Sena foi lançada em 11 de março de 1996, em substituição à Sena. São dois sorteios semanais desde então.
tópicos:

AS MAIS DOS ULTIMOS 30 DIAS

FOTOS ON LINE

ACIOLLYVERSATIL@HOTMAIL.COM