ANUNCIE SUA EMPRESA AQUI

OBRIGADO POR VOSSA VISITA***

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Violência acontece porque Maranhão está mais rico, diz Roseana

Violência acontece porque Maranhão está mais rico, diz Roseana


Publicidade

DE SÃO PAULO
Ouvir o texto
A governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), justificou a violência no Estado com o aumento da riqueza entre os maranhenses. De acordo com ela, o Maranhão está mais rico e isso faz com que a segurança piore.
"É um Estado que está se desenvolvendo, que está crescendo. E um dos problemas que está piorando a segurança do nosso Estado é que nosso Estado está mais rico, mais populoso também", disse Roseana.
Procurador-geral deve pedir intervenção federal no Maranhão Ministro da Justiça anuncia comitê contra crise em prisões do MA Conselho quer que MA apresente um plano emergencial para prisões


Marlene Bergamo/Folhapress
Governadora do Maranhão, Roseana Sarney, com o ministro da Justiça; ela disse que está "até agora chocada" com mortes em Pedrinhas
Governadora do MA, Roseana Sarney, com o ministro da Justiça; ela disse que está "até agora chocada" com mortes em Pedrinhas
A governadora também disse não acreditar na intervenção federal no Estado. E justificou: "Não acredito que [o procurador-geral da República] vá pedir intervenção, porque estou cumprindo com o meu dever no Maranhão. O Estado está indo muito bem", disse, citando a seguir o avanço do PIB, melhoria das estradas e dados da educação e indústria.
Em entrevista nessa quinta-feira (9) em São Luís, a governadora Roseana disse que a violência no complexo de Pedrinhas, com 62 mortos desde o ano passado, é "algo inexplicável".
"O que aconteceu me chocou, e a todo o Maranhão, porque o povo do Maranhão não é violento. O que aconteceu lá é algo inexplicável. Estou até agora chocada com o que aconteceu lá, porque o que existe são brigas de facções. E elas são muito violentas. Acaba havendo problemas de morte no presídio."
Roseana também relacionou a violência ao crack. "É uma disputa praticamente por causa do crack, que tem uma força muito grande, uma disputa de espaço. O que aconteceu em São Paulo, no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul não é diferente do que está acontecendo aqui."


 Ver em tamanho maior »
Acervo UH/Folhapress
Anterior Próxima
O então deputado federal José Sarney (UDN) ao lado da mulher Marly e dos filhos, Roseana e Fernando
De entrada, os eventos terão no cardápio casquinha de caranguejo, carpaccio de salmão e coquetel de mariscos. Já os convidados dos coquetéis oficiais do governo poderão comer canapés de salmão e caviar, "cartuchos de lagosta" e empanadas de camarão.
Ainda está prevista a compra de comida e bebida para "coffee breaks" e "brunches" promovidos pelo Estado.
TAPETE PERSA E LUSTRE DE CRISTAL
O governo Roseana prevê gastar R$ 403 mil para bancar a estrutura, a decoração e a equipe dos eventos. As recepções deverão ter lustre com estrutura de cristal e tapete persa dos tipos Golpayagan Sherkat e Kashmar.
O edital ainda inclui a contratação de decorador, cantor e recepcionistas bilíngues, todos sujeitos a "aprovação prévia" pelo Estado.
O cantor, por exemplo, deve ser apto a "interpretar canções de repertório popular, inclusive regionais, música ambiente, instrumentais e religiosas". Tudo conforme orientação do cerimonial da governadora.
FONTE FOLHA DE SÃO PAULO
Postar um comentário

AS MAIS DOS ULTIMOS 30 DIAS

FOTOS ON LINE

ACIOLLYVERSATIL@HOTMAIL.COM