ANUNCIE SUA EMPRESA AQUI

OBRIGADO POR VOSSA VISITA***

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Suspeitos de sequestro relâmpago mantêm refém menino de três anos O crime ocorreu em Santa Maria. A criança e o pai ficaram nas mãos dos bandidos por cerca de 50 minutos até serem encontrados em um posto de combustível desativado na entrada de Valparaíso

Suspeitos de sequestro relâmpago mantêm refém menino de três anos O crime ocorreu em Santa Maria. A criança e o pai ficaram nas mãos dos bandidos por cerca de 50 minutos até serem encontrados em um posto de combustível desativado na entrada de Valparaíso
Kelly Almeida
Manoela Alcântara
Publicação: 19/02/2014 08:37 Atualização: 19/02/2014 09:06

Dois bandidos armados sequestraram um menino de 3 anos em frente a um posto de saúde de Santa Maria. De longe, a mãe acompanhou, em desespero, toda a ação. A vendedora Érica Sousa havia saído do carro para pegar um remédio e deixou o garoto com o motorista do veículo, um vizinho, amigo da família. Em poucos minutos, os criminosos abordaram Edmilson do Nascimento, 34 anos, e anunciaram o assalto. Ele foi para o banco de trás da Parati prata e ficou ao lado da criança. A mulher viu o veículo arrancar. “Na hora, percebi que era um sequestro”, contou ao Correio.  O ataque ocorreu por volta das 13h dessa terça-feira (18/2), na Quadra 217. Foram 50 minutos de terror até que o menino e Edmilson fossem encontrados. Os assaltantes não feriram as vítimas, deixadas em um posto de combustível desativado na entrada de Valparaíso, perto do monumento Solarius, conhecido como Chifrudo. Segundo Edmilson, durante todo o tempo em que estiveram em poder dos assaltantes, os dois ficaram com uma arma apontada para a cabeça. “Eles disseram que o carro era uma encomenda e que não nos machucariam”, detalhou.
Mesmo assim, a criança não parou de chorar. Em um primeiro momento, os bandidos pensaram que o vizinho fosse o pai do menino. Tanto que, ao rendê-lo, mandaram que passasse para o banco traseiro e abraçasse a criança. Ele cumpriu as ordens e não olhou para os assaltantes. Enquanto isso, Érica entrou em contato com familiares, que acionaram a polícia. Uma equipe de PMs localizou as vítimas no posto de gasolina de Valparaíso.

Ameaças
Ao ver o filho, a vendedora se emocionou. “Eu não conseguia parar de chorar”, disse a mãe. O menino relatou à mãe ameaças. “Ele disse: ‘Os homens malvados levaram a minha cobertinha, mamãe’”, revelou Érica. Até o fechamento desta edição, não havia informações sobre os suspeitos nem sobre a Parati prata. A 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria) investiga o caso. Se encontrados, os suspeitos responderão por roubo com restrição à liberdade e emprego de arma de fogo. A pena máxima prevista chega a 15 anos de prisão.

Depoimento
“Não conseguia parar de chorar”

“Foram 10 minutos. Saí do carro para pegar o remédio no posto e, quando olhei para trás, estavam arrancando com o carro em alta velocidade. Pensei por que o Edmilson, o meu vizinho, sairia naquela velocidade, mas, quando olhei para a janela, ele estava no banco de trás com o meu filho. Um homem estranho estava na direção. Desesperei-me. Corri para tentar alcançar o veículo nem sei por que pensei que conseguiria. Só pensava: ‘Levaram, levaram o meu filho’. Ele está doente. O meu maior medo era de ele chorar e irritar os bandidos. Eles podiam atirar nele, matar. Liguei para a minha mãe, para o meu pai. Não conseguia pensar direito. Os meus parentes chamaram a polícia, e os militares chegaram muito rápido. Rodamos por quase 50 minutos na tentativa de achar o meu filho. Pareceu uma eternidade. Tanto coisa passou pela minha cabeça. Não conseguia parar de chorar. Apeguei-me a Deus, fiz orações, a minha família também rezou. Só pensava que a minha vida havia acabado. Ele é tão indefeso. Por fim, conseguiram encontrar os dois. Só pensava em abraçar e beijar o meu filho. Chorei tanto, que ele olhou para mim e disse: ‘Calma, mamãe. Está tudo bem’".
Érica de Sousa, 35 anos, vendedora

FONTECORREIOBRAZILIENSE  
Postar um comentário

AS MAIS DOS ULTIMOS 30 DIAS

FOTOS ON LINE

ACIOLLYVERSATIL@HOTMAIL.COM