ANUNCIE SUA EMPRESA AQUI

OBRIGADO POR VOSSA VISITA***

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Governo afirma que tenente-coronel Ricardo Rocha foi absolvido na Operação Sexto Mandamento***

Governo afirma que tenente-coronel Ricardo Rocha foi absolvido na Operação Sexto Mandamento
Por Augusto Diniz
Após matéria do jornal Correio Braziliense e perguntas feitas ao governador Marconi Perillo (PSDB) na manhã deste sábado (27/2) sobre a escolha do novo comandante de Policiamento da Capital (CPC), Estado informa que policial teve acusações arquivadas


Governador Marconi Perillo (PSDB) afirmou que enquanto comandava o policiamento em Caldas Novas, nenhuma crítica foi feita ao trabalho do tenente-coronel Ricardo Rocha | Foto: André Costa/Jornal Opção

O governo estadual defendeu neste sábado (27/2) a escolha do tenente-coronel Ricardo Rocha Batista como o novo comandante do Policiamento da Capital (CPC).   De acordo com o Estado, o policial foi absolvido em março de 2014 das acusações de homicídio e participação em um grupo de extermínio da Polícia Militar (PM) levantadas pela Operação Sexto Mandamento, que teve seu processo arquivado.
Relacionados

José Eliton anuncia novo comando das polícias Civil e Militar

Na entrevista coletiva antes do encontro estadual do PSDB neste sábado, o governador Marconi Perillo questionou as dúvidas sobre o nome do tenente-coronel Ricardo Rocha. “Você está acusando ele?”, perguntou o tucano a um repórter que indagou o fato de que ele teria sido nomeado para o CPC mesmo com acusações de chefiar um grupo de extermínio.

“Ele estava em Caldas Novas comandando um importantíssimo comando que recebe 3 milhões de pessoas por ano. Eu nunca vi ninguém da imprensa o coronel Ricardo Rocha quando estava em Caldas Novas.” De acordo com Marconi, a decisão dele e do vice-governador José Eliton (PSDB) foi de colocar à frente do policiamento de Goiânia um comandante “extremamente operacional”.

O governador levantou o questionamento sobre as críticas direcionadas ao nome do tenente-coronel. “Quando matam as pessoas inocentes, criticam, quando a gente bota alguém rigoroso para combater os bandidos, criticam também. Não dá. Nós temos que levar essas coisas a sério.” Segundo Marconi, a ordem é “proteger o cidadão de bem e correr com os criminosos”.

Sobre as acusações de homicídio, o governo lembrou que Ricardo Rocha foi absolvido por jurados que, por recomendação do promotor Maurício Gonçalves de Camargo, concluiu que não havia provas para comprovar a autoria do assassinato de Marcelo Coka.

O promotor, na ocasião, disse que o tenente-coronel, que ainda era major, e outros policiais militares absolvidos alegaram legítima defesa em uma suposta troca de tiros com a vítima, argumento acatado pelos jurados que decidiram absolver o militar.

Em 2011, Ricardo Rocha foi investigado pela Operação Sexto Mandamento, da Polícia Federal, mas teve o processo arquivado por determinação do juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 1ª Vara Criminal de Goiânia, em agosto de 2014.


Tenente-coronel Ricardo Rocha era major quando foi investigado pela Operação Sexto Mandamento | Foto: Reprodução/Facebook

Nota

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSAP) respondeu aos pontos duvidosos levantados sobre a nomeação do tenente-coronel como novo comandante do Policiamento da Capital (CPC).

No texto, a SSAP reforça a informação divulgada pelo Estado de que Ricardo Rocha não tem contra ele qualquer condenação relacionada à Operação Sexto Mandamento.

“O princípio da presunção de inocência é um dos pilares dos direitos humanos e está disciplinado na Constituição de 1988 que estabelece: ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”, informa a nota.

No comunicado, a pasta levanta o currículo do tenente-coronel Ricardo Rocha, que é graduado em Direito, foi comandante das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) e ocupou outros postos de direção na Polícia Militar (PM), quando, segundo a SSPA, “pautou-se pelos princípios da austeridade, empreendeu projetos inovadores na operação policial, com resultados sempre positivos na queda de índices de criminalidade”.

“Com 25 anos de atuação na PM, possui todas as medalhas de destaque operacional, além de honrarias concedidas pelo Poder Legislativo e títulos de cidadania em municípios onde atuou, como Rio Verde e Formosa.”

Defesa de Ricardo Rocha

A nota termina com a informação de que “não há fatos que possam desabonar a conduta do tenente-coronel Ricardo Rocha e que o vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton (PSDB), reitera integral confiança na sua pessoa para exercer o Comando da Capital”.

Na manhã deste sábado, ao discursar no encontro estadual do PSDB, no Parque de Exposições Agropecuárias de Goiânia, José Eliton afirmou que “quem tem medo não merece fazer parte da administração pública” em referência à missão dada a ele pelo governador Marconi Perillo (PSDB) de assumir a pasta da Segurança Pública. “Vamos vencer a batalha contra o crime em Goiás.”


Secretário de Segurança Pública visitou pontos de bloqueio policial em Goiânia na tarde deste sábado | Foto: Vice-Governadoria

“Nós seremos o Estado mais seguro do Brasil. Não duvidem disso”, foi enfático José Eliton no evento tucano.

Ao sair do Parque de Exposições Agropecuárias, o novo secretário de Segurança Pública acompanhou o trabalho da PM realizado durante a Operação Tolerância Zero, iniciada na sexta-feira (26), com bloqueios espalhados pela capital.

A visita não foi interrompida durante a chuva. “As forças policiais goianas são muito eficientes e merecem nosso total reconhecimento”, disse o vice-governador. 
fonte redação///

Postar um comentário

AS MAIS DOS ULTIMOS 30 DIAS

FOTOS ON LINE

ACIOLLYVERSATIL@HOTMAIL.COM