ANUNCIE SUA EMPRESA AQUI

OBRIGADO POR VOSSA VISITA***

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2016 No Rio DE JANEIRO


Estatística de Policiais Mortos e Baleados em 2016
Mal começamos o mês de setembro e o ano de 2016 já registra 299 policiais baleados – sendo que 73 não resistiram. Do total, 281 eram PMs – um deles de Roraima, cedido à Força Nacional de Segurança e trabalhando durante os Jogos Olímpicos -, 15 eram policiais civis e 4 eram policiais rodoviários federais. Destes, 182 estavam de serviço, 102 estavam de folga, 13 eram reformados, 1 era aposentado e 1 era recruta. Do total, 106 foram atingidos em áreas pacificadas.



1 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Bruno da Costa Gonçalves Ferreira foi baleado durante ataque de traficantes que continuam controlando a venda de drogas no Complexo do Lins, no bairro Lins de Vasconcellos, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na Rua Luiz Regazzi, na localidade conhecida como Árvore Seca. Atingido na panturrilha, ele foi socorrido e levado pelos próprios colegas de farda para o Hospital Naval Marcílio Dias e depois transferido por policiais do Grupamento de Ações Pré-Hospitalares (GAPH) para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.
1 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói) e trabalhando no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) do Largo da Batalha, o sargento Barcellos foi baleado durante ataque de criminosos que passaram atirando contra o posto, localizado no bairro de mesmo nome, na Região de Pendotiba, em Niterói, logo após a queima de fogos do revéillon. Atingido no braço, o PM foi socorrido pelos próprios colegas de farda e foi levado para o Hospital de Icaraí, no Centro de Niterói.



2 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o sargento Vantuir foi baleado durante assalto no posto de combustível na entrada de Ponta Negra, em Maricá. Ele chegou a se atracar com um dos criminosos e entrou em luta corporal, mas acabou atingido. Socorrido pelohelicóptero do Grupamento Aeromóvel (GAM), ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Atingido no braço, perna e boca, ele não corre risco de morte.

2 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Jefferson Carvalho Gomes da Silva foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Lins, na Zona Norte do Rio. Os PMs foram atacados na localidade conhecida como Árvore Seca. Atingido na perna, o soldado Carvalho foi socorrido e levado para o Hospital Naval Marcílio Dias, onde foi submetido a uma cirurgia.

3 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 25° BPM (Cabo Frio), o soldado Rogério foi baleado durante perseguição a assaltantes, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. O PM e seus colegas de farda estavam no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Unamar quando foram abordados por um homem que havia acabado de ser assaltado. A vítima contou que os criminosos tinham fugido levando seu veículo – o Peugeot vermelho placa LMC 8545. Um alerta foi enviado para as viaturas através do rádio da corporação e a das equipes que realizava patrulhamento de rotina conseguiu localizar o automóvel na esquina das ruas Pargos e da Torre. Os assaltantes desobedeceram a ordem de parada e na tentativa de fuga bateram contra um banco de areia. Eles desceram do carro efetuando diversos disparos contra os policiais e acabaram atingindo o soldado Rogério no pescoço. Enquanto ele era socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tamoios, foi emitido alerta de prioridade com pedido de apoio e os PMs conseguiram recuperar o automóvel roubado e prender os assaltantes. Eles foram identificados como Mateus Corrêa Ferreira, 19 anos, e Leonardo Augusto Pires de Santana, 21. Um terceiro criminoso – John Wagner Soares – recebeu voz de prisão ao oferecer dinheiro em troca da liberdade dos comparsas. O comandante do 25°BPM, tenente-coronel Ruy França, está acompanhando pessoalmente o estado clínico do policial baleado e prestando total assistência. De acordo com boletim médico divulgado, o soldado Rogério está com o projétil alojado, quadro estável e não corre risco de morte. O oficial articulou para que o PM fosse transferido para o Hospital Regional, em Araruama, por estar melhor aparelhado e poder proporcionar condições mais apropriadas de recuperação. Na ação, os PMs apreenderam um revólver Taurus calibre 38 com quatro munições deflagradas, três aparelhos de telefone celular, um tablet e R$ 403 em espécie.



4 de Janeiro: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Alemão, os soldados Anderson de Jesus Cabral e Júlio Valter Pacheco Medeiros Júnior foram baleados durante ataque à base da unidade. Socorridos, eles foram levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, e não correm risco de morte.

5 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Prazeres, o cabo Wanderson Galo de Souza foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando as bocas-de-fumo no morro localizado no bairro Santa Teresa, na região central do Rio. Atingido no braço e nas costas, ele foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.



5 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói) e trabalhando no Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) Largo da Batalha, o sargento Dias foi baleado durante confronto com criminosos que controlam o tráfico de drogas no Morro do Preventório, no bairro Charitas, em Niterói.

7 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o sargento Adailson Anunciação dos Passos foi baleado durante ataque de traficantes da facção criminosa Comando Vermelho (CV) que continuam controlando as bocas-de-fumo do Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O PM foi atingido no braço esquerdo quando estava na Rua Palmira.

9 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no Grupamento Tático de Motociclistas (Getem) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Ezequias Penido da Rocha foi baleado durante ataque de criminosos na localidade conhecida como Campo do Abóbora, na Favela do Jacarezinho, no Jacaré, na Zona Norte do Rio. Atingido na perna e na barriga, ele foi socorrido e levado para o hospital. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dele.

10 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o sargento Hugo Scarpa, 36 anos, foi baleado pelo inspetor de segurança e administração penitenciária Marcos Pereira Eulálio, 34, no bairro Jardim Atlântico, em Maricá. Testemunhas contaram que os dois estavam no bar Vem Que Tem, na esquina da Rua 1 com a Praia de Itaipuaçu, quando houve um desentendimento. Ainda segundo clientes do estabelecimento, o agente penitenciário teria ido até sua casa, retornado armado e atirado contra o PM, que se atracou com ele e conseguiu desarmá-lo, efetuando disparos durante a luta corporal, já na areia da praia. Atingido no ombro, o sargento Scarpa foi socorrido por amigos que o levaram até o Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Inoã, de onde ele foi levado em uma viatura para o Hospital Municipal Conde Modesto Leal. Ele foi posteriormente transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no bairro Colubandê, em São Gonçalo, onde foi submetido a uma cirurgia. Já o agente da secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) foi conduzido à mesma unidade de saúde por uma ambulância do Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos. As investigações estão sob responsabilidade de policiais da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DH-Nit/SG).

11 de Janeiro: 2 PMs baleados
Lotados na Diretoria Geral de Pessoal (DGP) da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), o sargento Robson Soares Pereira e a soldado Marília Vieira foram baleados durante tentativa de assalto, em Quintino, na Zona Norte do Rio. Os PMs estavam em um Voyage verde e trafegavam pela Avenida Dom Helder Câmara – antiga Suburbuna -, na altura da igreja Mundial, quando presenciaram criminosos em um Chevrolet Cruze branco roubando o Golf preto placa DUG 0770. Os bandidos levaram o veículo – que pertencia a um subtenente – com os documentos e a pistola Taurus .40 do policial, que nada sofreu. Os dois policiais tentaram prender os assaltantes, que iniciaram um tiroteio. No confronto, o sargento Robson foi atingido no rosto e no braço direito, enquanto a soldado Marília foi baleada na mão esquerda. Uma pedestre, identificada como Juliana Moura de Moraes, 34 anos, foi vítima de bala perdida. Os feridos foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.



11 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no Centro de Comunicação e Informática da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, o cabo Thiago Custódio dos Santos, 31 anos, foi torturado e assassinado a tiros após ter a identidade descoberta, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. O corpo do PM foi encontrado na Estrada de Urucânia, próximo a um dos acessos à Favela de Antares.



13 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado André Luiz de Carvalho, 32 anos, foi encontrado morto em Bangu, na Zona Oeste do Rio. O corpo estava no porta-malas do Renault vermelho placa LPX 6752, ao lado da Escola Municipal Pracinha João da Silva, a poucos metros de um dos acessos à Favela Vila Aliança. O carro havia sido roubado momentos antes na Rua Coronel Tamarindo, próximo ao Colégio Estadual Professor Daltro Santos. O PM era casado e estava há quatro anos na corporação. As investigações estão sob responsabilidade de policiais da Divisão de Homicídios (DH).

14 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o tenente Queiroz foi baleado durante ataque de criminosos, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O oficial, de serviço na Supervisão, passava pelo viaduto do Carvalhão, próximo ao Carrefour, no bairro Jardim Gramacho, quando bandidos passaram em um ônibus e atiraram contra a viatura. Atingido no abdômen, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna.

14 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 32° BPM (Macaé), o sargento Marco Vinícius Gimenez foi baleado ao tentar impedir um assalto, em Macaé. O PM passava em frente a um mercado localizado no bairro Virgem Santa quando percebeu a ação criminosa. O bandido resistiu à voz de prisão e atirou, dando início a um confronto. Baleado, o sargento ainda conseguiu atingir o assaltante, que morreu no local. Com ele foi apreendida uma pistola 9mm. Socorrido, o sargento foi levado para o Hospital Público Municipal de Macaé.



14 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Felipe Sousa da Rocha foi baleado por criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Os PMs realizavam patrulhamento de rotina e passavam pela localidade conhecida como Ferro Velho quando foram surpreendidos pelos bandidos. Atingido no braço, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

14 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Pedro Augusto Martins Barreiro foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Lins, no bairro Lins de Vasconcellos, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na quadra da localidade conhecida como Cotia.

20 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o soldado Wagner Calheiros foi baleado no momento em que passava pela Avenida Miguel Salazar. Atingido nas nádegas, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.



22 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o sargento Leandro Bomfim Pedro estava trabalhando na operação Aterro Presente quando foi baleado, no bairro Glória, na Zona Sul do Rio. O PM estava na Rua Cândido Mendes quando os ocupantes de um Renault Duster branco passaram efetuando disparos. Após atingir o policial, os criminosos roubaram a arma dele e fugiram. Socorrido, o sargento foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dele.



23 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o sargento Rubenildo Jocas Dantas foi baleado durante incursão na Favela do Sebinho, no bairro Rocha Sobrinho, em Mesquita, na Baixada Fluminense. A ação verificava a montagem de tendas no local, quando os PMs foram surpreendidos por criminosos que efetuaram diversos disparos. Eles revidaram à agressão e no confronto o sargento Jocas foi atingido na clavícula direita. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, no bairro Posse. O sargento corre o risco de ficar paraplégico.



27 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 32° BPM (Macaé), o cabo Dos Santos foi baleado durante ataque de criminosos da facção Amigos dos Amigos (ADA) que controlam o tráfico de drogas na Favela Nova Holanda, no bairro de mesmo nome, em Macaé. Atingido na mão e no abdômen, ele ficou com um projétil alojado na mão direita e foi salvo de ser baleado no peito pelos carregadores que estavam no colete. O contêiner implantado na favela funciona com apenas três PMs.



28 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o cabo Dauriol foi baleado no ombro durante perseguição a criminosos no bairro 25 de Agosto, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Na ação, dois bandidos foram presos e uma pistola 9mm foi apreendida.

28 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Policlínica Cascadura, o sargento Carlos Paulino da Silva foi baleado ao reagir a assalto, no Riachuelo, na Zona Norte do Rio.



28 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 41° BPM (Irajá), o cabo Michel Lopes Cardoso morreu após ser baleado por criminosos armados de fuzis que praticavam roubo de cargas na Pavuna, também na Zona Norte. Ele realizava patrulhamento de rotina quando se deparou com o bonde. A viatura passava pela Avenida Coronel Phidias Távora quando se depararam com três veículos – um Ford Ecosport branco, um Renault Duster branco e um Fiet Siena – cujos ocupantes portavam fuzis e participavam de roubos a caminhões de carga na região. Ao notarem a presença da viatura, os criminosos efetuaram diversos disparos contra os policiais. Atingido no peito, o cabo Cardoso ainda foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) de Irajá, mas não resistiu.



28 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Andaraí, o soldado João Carlos Silva foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na região. Atingido no abdômen, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Federal do Andaraí. O tiro passou pelo colete, ferindo a barriga do policial. Segundo médicos responsáveis pelo atendimento, ele não corre risco de morte.

28 de Janeiro: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), um policial que não teve o nome divulgado foi baleado no pé em confronto durante incursão no Morro da Pedreira, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.



30 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fazendinha, o soldado Guimarães foi atacado por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O PM estava saindo de serviço em seu carro particular quando foi alvo de tiros de fuzil, na descida da base. Ele não teve tempo de reagir, mas conseguiu se proteger e foi ferido apenas por estilhaços.

30 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará-Mandela, o cabo Leandro da Silva Pimenta morreu ao reagir a assalto em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele e o primo, também PM lotado na mesma UPP – estavam no Trailer do Russo quando os criminosos chegaram. No confronto, um dos bandidos também morreu. Outros dois foram presos.



30 de Janeiro: 1 PM morto
Lotado no 22° BPM (Benfica), o sargento Flávio Lima de Oliveira morreu ao trocar tiros com criminosos que anunciaram assalto no Churrasquinho do Léo, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM lanchava no estabelecimento quando os criminosos chegaram. Ele tentou reagir, mas acabou atingido. Ele deixa esposa grávida e quatro filhos.

30 de Janeiro: 1 PM baleado
Lotado no 9° BPM (Rocha Miranda), o sargento Luís foi baleado durante assalto em Bento Ribeiro, na Zona Norte do Rio. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

2 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o soldado Rômulo Luiz Ribeiro dos Santos foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na favela localizada em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os PMs ficaram encurralados e equipes da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil seguiram para atender a prioridade. Assim que chegaram, os agentes foram recebidos a tiros e revidaram a agressão. Durante o confronto entre traficantes da facção Comando Vermelho (CV) e os policiais da Core, eles conseguiram fugir deixando para trás uma pistola calibre 45. Um dos policiais ainda acertou um dos disparos na arma – importada da Áustria, da fabricante Glock, modelo G21, com kit rajada. Atingida pelo tiro, a pistola caiu no chão. Na ação também foi preso Phelipe Nascimento de Carvalho, o 22, 20 anos. Ele foi flagrado com um rádio comunicador. O PM foi socorrido e liberado após receber atendimento médico.



3 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o soldado Vanderlei Souza Machado foi baleado no bairro Ampliação, em Itaboraí. De acordo com as primeiras informações, ele reagiu a um assalto e chegou a atingir o criminoso. No entanto, havia um comparsa dando cobertura e que surpreendeu o PM pelas costas. O tiro entrou pela nuca e saiu pela testa. Socorrido, o policial foi levado para o Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior, no Centro, e transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo. Ele chegou a permanecer internado durante uma semana, mas não resistiu ao ferimento e faleceu no dia 9 de fevereiro.



4 de Fevereiro: 1 PM morto
O subtenente reformado Valmir Crisóstomo Ramos, 57 anos, morreu após ser baleado durante tentativa de assalto na Avenida Brasil, na altura do viaduto de Benfica, na Zona Norte do Rio. O PM – que foi lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) – estava no carro acompanhado pela esposa e o filho. A família iria viajar no carnaval. Um bandido viu a arma debaixo da coxa do policial e efetuou o disparo sem qualquer chance de defesa ou de reação. O subtenente ainda foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, mas não resistiu.

4 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Rogério Pereira de Oliveira Costa foi baleado no tornozelo durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Os bandidos atacaram a base da UPP, efetuando disparos e lançando artefatos explosivos. O soldado Rafael Vieira Freitas e a soldado Jéssica Aparecida Mello dos Santos Pimentel ficaram feridos por estilhaços de granada. Os três foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, sendo liberados após receber atendimento médico.

7 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Rafael Ribeiro de Lima foi baleado durante ataque de traficantes da Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhamento de rotina e passava pela localidade conhecida como Pontilhão, quando foi atingido. O projétil transfixou a panturrilha e provocou uma fratura de tíbia.

7 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Policlínica da Polícia Militar (PPM) de Olaria, o sargento Júnior foi baleado, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O PM, que cuida de boi e cavalo nas horas de folga, estava recolhendo os animais em uma área de mato no bairro Babi quando foi atingido pelas costas. Socorrido, foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, no bairro Posse.

7 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o soldado Alessandro dos Santos Lopes foi baleado em Honório Gurgel, na Zona Norte do Rio, durante uma tentativa de assalto. Atingido na perna, na Rua Ururaí, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

11 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no Posto de Policiamento Comunitário (PPC) do Parque União, o soldado Leonardo Etelvino Cruz Ramos foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na Favela Parque União, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM se afastou do posto e foi consertar seu veículo, próximo à Rua Ary Leão, quando o disparo foi efetuado. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para o hospital.



13 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o sargento Marcelo da Fonseca Jardim, 40 anos, morreu após ser baleado pelo irmão de sua esposa, no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo. O PM, que trabalhava no Fórum, no bairro Santa Catarina, e o pai, o aposentado Reynaldo da Silva Jardim, 71, foram mortos após uma discussão motivada por uma obra no terreno que eles dividiam, na Rua José Rosendo de Souza. O policial e o cunhado discutiram por causa da instalação de um cano no quintal. Eles entraram em luta corporal e o acusado conseguiu pegar a arma do sargento – um revólver calibre 38 – e efetuar quatro disparos contra ele. O aposentado foi baleado ao abraçar o corpo do filho, já sem vida. Socorrido, o pai do policial ainda foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, mas não resistiu.

13 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, o soldado Rocha foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, próximo ao viaduto de Tomás Coelho. Atingido no braço, ele foi socorrido.



13 de Fevereiro: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotado no Estado Maior Geral (EMG), o sargento Alexsandro Luiz da Silva morreu após ser baleado durante assalto, no bairro Santo Cristo, na Zona Potuária do Rio. O PM e outro colega de farda haviam acabado de sair de serviço e passavam pela Rua General Luiz Mendes de Moraes quando foram abordados pelos criminosos. Eles reagiram e na troca de tiros foram feridos. Atingido de raspão, o PM que não teve o nome divulgado não corre risco de morte. Já o sargento – atingido no peito – não resistiu.

13 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 22º BPM (Benfica), o cabo Rafael Ávila foi baleado durante tentativa de assalto, em Cascadura, na Zona Norte do Rio. Atingido no joelho, antebraço e dedo da mão, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier.



17 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no 8º BPM (Campos), o soldado Fernando Henrich Ribeiro Escodino Machado, 28 anos, morreu após ser baleado, em Campos. O PM conduzia sua moto a caminho de uma oficina mecânica e passava entre os bairros Custodópolis e Bandeirantes, quando foi abordado por homens armados. Outro policial militar, o soldado Sérgio Vinícius Batista de Sousa, 37, que vinha logo atrás, em seu carro, percebeu a ação e trocou tiros com os criminosos. O PM – que já foi guarda municipal em São Francisco de Itabapoana – chegou a ser socorrido pelo amigo e levado para oHospital Ferreira Machado, no bairro Caju, mas não resistiu.

17 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o subtenente Lessa foi baleado durante patrulhamento de rotina na Estrada do Rio do Pau, na altura da Rua Javatá, na Pavuna, na Zona Norte do Rio.



18 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o soldado R Santana foi baleado durante confronto com traficantes no Morro da Dita, no bairro Jóquei, em São Gonçalo. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, e não corre risco de morte.

18 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Alemão, o soldado Rafael Henrique Monteiro Barbosa foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O tiro entrou abaixo do colete, na altura do abdômen, e transfixou, parando na placa traseira. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

19 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 16° BPM (Olaria), o sargento Robson foi baleado durante incursão na Favela Cidade Alta, na Zona Norte do Rio. Na mesma ação, o sargento Barbosa ficou ferido após ser atacado por abelhas. Os dois foram levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

19 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado T. Almeida foi atingido por estilhaços durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.



19 de Fevereiro: 4 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o cabo Emerson Faria Ramos e os soldados Edílson Guimarães Ramos da Silva, Denis Sérgio de Faria Alves e Gean Paulo de Souza Medeiros foram atingidos durante ataque na localidade conhecida como Cachoeirinha. Os quatro receberam atendimento médico no Hospital Naval Marcílio Dias e não correm risco de morte. O cabo Emerson foi ferido de raspão no braço direito, o soldado G. Ramos foi ferido na canela direita, o soldado Sérgio na coxa direita e o soldado Paulo no dedo da mão direita.



19 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), o soldado Iran foi baleado durante ataque de criminosos, no Arco Metropolitano, próximo ao rio Guandu, na altura de Seropédica, na Baixada Fluminense. A viatura realizava patrulhamento de rotina quando se deparou com um bonde de traficantes que haviam participado de uma troca de tiros entre rivais das facções Amigos dos Amigos (ADA) e Comando Vermelho (CV). Atingido de raspão nas costas – protegido por um colete de cerâmica – o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal São Francisco Xavier, em Itaguaí, recebendo alta após atendimento médico.

21 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o soldado Júlio César Nunes da Silva foi baleado durante confronto na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Atingido no braço e no tórax, ele foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.



23 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o sargento Audrey Sodré, 37 anos, foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas na Favela Pica-Pau, no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo. Atingido no braço, ele foi socorrido pelos próprios companheiros de farda e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, onde está sendo submetido a uma cirurgia.

25 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Max Moraes Braga Alves foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido na altura das costas, o PM Foi salvo pelo colete, que amorteceu o impacto do tiro.

25 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o cabo Rinaldo Barbosa de Souza foi baleado por criminosos que o sequestraram na Avenida Cesário de Melo, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, e levado para o interior da Favela do Rola, localizada no mesmo bairro. Resgatado por policiais do 27 BPM, que trocaram tiros com os bandidos e o salvaram de uma sessão de espancamento, ele foi levado para o Hospital Municipal Pedro II.

25 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP), o cabo Jussanã Miguel de Pinho foi baleado durante tentativa de assalto ao ônibus em que viajava, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os criminosos anunciaram o assalto no momento em que o coletivo trafegava pela Rodovia Washington Luiz, na altura da Favela Beira-Mar, no bairro Parque Beira-Mar. Atingido no pescoço, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Moacyr do Carmo.

25 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o sargento Marcelo Nogueira, 41 anos, foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas no Morro do Feijão, no bairro Paraíso, em São Gonçalo. O PM preservava um local de homicídio, na Travessa Batista, no Barro Vemelho – que dá fundos para a favela – aguardando a chegada das equipes da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DH-Nit/SG) quando os bandidos começaram a atirar contra a viatura. Atingido no abdômen, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, onde foi submetido a uma cirurgia.

26 de Fevereiro: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Andaraí, o soldado J. Cunha foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no morro localizado na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na localidade conhecida como Cruzeiro. Atingido de raspão no ombro esquerdo, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Naval Marcílio Dias.



26 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), o cabo Cícero Pedro do Nascimento Neto foi sequestrado após ser baleado no bairro Palmital, em Rio das Ostras. O corpo dele foi encontrado no dia seguinte. Ele estava em um Astra prata e acompanhava o sogro, Ary Bernardes de Mello, que iria receber o pagamento por uma moto vendida, quando foi surpreendido por homens armados. O PM ainda conseguiu reagir e chegou a trocar tiros com os criminosos, mas foi atingido no confronto. O sogro também foi baleado – na perna, nas nádegas e nas costas – e conseguiu fugir. Socorrido, foi atendido no Pronto Socorro de Rio das Ostras e posteriormente levado para o Hospital Regional de Barra de São João, em Casimiro de Abreu. Já o cabo foi colocado em um Kadett escuro. O corpo dele foi encontrado na manhã de sábado, dia 27, no bairro Cantagalo, em Rio das Ostras.



27 de Fevereiro: 1 PC morto
Lotado na 58DP, o inspetor Fábio da Silva Fernandes morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, na Vila da Penha, na Zona Norte do Rio. O crime ocorreu na Rua Professor Eduardo Rabelo, próximo à pizzaria Parmê.



27 de Fevereiro: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE), o soldado Rodrigo Veridiano Ferreira foi baleado, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, horas após discutir com um homem que se identificou como miliciano, em uma boate em Itaguaí, na Baixada Fluminense. Acompanhado por um amigo identificado como Douglas Nascimento dos Santos Guimarães, o PM saiu do estabelecimento e parou na Avenida Cônego de Vasconcelos, em frente à lanchonete West Side, para fazer um lanche. Logo depois foi surpreendido pelo suposto miliciano, que disse se chamar Henrique, que chegou em um Corsa Classic prata e efetuou diversos disparos contra o soldado no momento em que ele entrava no Hyundai I30 prata. Atingido nas costas, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo. Ele chegou a ficar dois dias internado, mas não resistiu e faleceu, na segunda-feira, dia 29 de fevereiro.

1° de Março: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o sargento Mello foi baleado durante assalto ao Carioca Shopping, na Vila da Penha, na Zona Norte do Rio. O PM estava de folga e passeava pelo shopping quando foi surpreendido por um tiroteio entre seguranças do estabelecimento e três criminosos que tentaram roubar a joalheria Monte Carlo. Os bandidos chegaram a trancar dois funcionários da loja no cofre, mas a PM conseguiu recuperar as joias roubadas e apreender um revólver calibre 38 com um dos assaltantes, que foi preso. Os dois comparsas dele conseguiram fugir.

3 de Março: 3 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São Carlos, os soldados Felipe dos Santos Antunes, Marcos Thiago Souza Nunes e Daniel Lopes Machado foram baleados durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo de São Carlos, no Estácio, na região central do Rio. O ataque ocorreu no Morro da Mineira.



4 de Março: 1 PM morto
Lotado no 25° BPM (Cabo Frio), o subtenente Paulo Fernando Alves da Silva morreu após ser baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, no encontro da Avenida Brasil com a Francisco Bicalho. Ele estava em um carro acompanhado pelo filho de 13 anos e pelo subtenente José Cláudio Falcão da Silva quando um criminoso em uma moto se aproximou pedindo o relógio do PM. O subtenente Fernando – que estava trabalhando no rancho do batalhão de Cabo Frio aguardando sair a reforma – conseguiu sacar sua arma e trocou tiros com o bandido, mas acabou atingido e não resistiu ao ferimento. O assaltante, atingido nas costas, foi preso logo depois.

5 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 4° BPM (São Cristóvão), o sargento Anderson Figueiredo da Silva foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto na Rua Mauá, no bairro Porto Novo, em São Gonçalo. O PM tinha saído de casa e se dirigia ao batalhão para assumir o serviço quando foi abordado pelos criminosos. Ele chegou a trocar tiros com os bandidos, mas foi atingido na perna. Socorrido, o PM foi levado para o Pronto Socorro de São Gonçalo (PSSG), no Zé Garoto.

5 de Março: 1 PC baleado
Lotado na 16DP (Barra da Tijuca), o delegado Thales Nogueira Cavalcanti Venâncio Braga foi baleado durante uma tentativa de assalto na Rua Belisário Távora, no bairro Laranjeiras, na Zona Sul do Rio. Ele estava em seu veículo quando foi abordado pelo criminoso. Ele foi atingido no rosto. O tiro transfixou o nariz e o delegado foi socorrido e levado para o Hospital de Cardiologia de Laranjeiras, onde recebeu os primeiros atendimentos médicos. Ele não corre risco de morte.

5 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 34° BPM (Magé), o major Hiran César Roque Gomes foi baleado durante tentativa de assalto, em Magé, na Baixada Fluminense. O PM trafegava pela rodovia Rio-Teresópolis, na altura de Piabetá, próximo à casa de shows Eco Music quando foi abordado por criminosos em um Renault Sandero prata de placa não anotada que tentaram roubar seu veículo – um Chevrolet Cruze. Mesmo atingido cinco vezes – três no abdômen e duas no braço -, o oficial conseguiu continuar dirigindo até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Piabetá, de onde foi transferido para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna.



10 de Março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São João, o soldado Pedro Raphael Zaluski de Oliveira, 29 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no morro localizado no bairro Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. A ação criminosa ocorreu na localidade conhecida como Cotovelo. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu. Há cinco anos na corporação, ele era casado e deixa uma filha.



12 de Março: 1 PM morto
Lotado no 33° BPM (Angra dos Reis), o sargento Marcelo Oliveira Tostes, 45 anos, morreu após ser baleado durante uma tentativa de assalto, no bairro Muriqui, no município de Mangaratiba. O crime ocorreu na Rua Cinco de Julho – a cerca de 200 metros de distância da praia. Uma dupla de criminosos tentou roubar uma das casas da via, mas o proprietário era um policial federal, que reagiu e atingiu um dos bandidos. Na fuga, eles tentaram roubar um carro e ao perceberem que o motorista era PM, atiraram contra ele e a esposa. O casal foi socorrido e levado para o Posto de Saúde de Muriqui, mas o sargento – que estava há 15 anos na corporação não resistiu.
Um dos envolvidos na ação criminosa – identificado como Bruno Silva Santos, 29 anos – foi preso momentos depois por policiais do 33°BPM. Várias equipes do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) foram deslocadas para a região.



13 de Março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Macacos, o soldado Raphael Nogueira Gama Gomes, 34 anos, foi encontrado morto no banco de trás de seu automóvel, no Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio. Ele trabalhava na Reserva Única de Material Bélico do Batalhão (RUMB) e estava acabando de voltar de licença paternidade. O veículo – o Fiat Punto placa KVY 4224 – estava na Rua Waldemar Dutra, próximo à Praça do Santo Cristo, e foi encontrado por um sargento do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) que entrava de serviço e estava em uma viatura da unidade. Uma equipe do 5° BPM (Praça da Harmonia) chegou ao local depois que uma testemunha ligou dizendo que viu o momento em que dois homens armados saíram do carro e fugiram correndo. Um deles estaria segurando um fuzil. Investigações da Divisão de Homicídios (DH) apuraram que o PM havia saído de uma boate na Lapa e levado duas mulheres na Rua Miguel de Rezende. Ele teria entrado errado em uma favela de Santa Teresa – Coroa ou Fallet -, teve o carro metralhado e o corpo desovado.



13 de Março: 1 PM morto
O subtenente reformado da Polícia Militar Raimundo Pacheco morreu após ser baleado, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM tinha acabado de participar de um jogo de futebol, como de costume, e parou em um bar, na Rua Dona Maria, no bairro Agostinho Porto. Assim que pediu uma cerveja, foi surpreendido por um homem não identificado que saiu de um Pollo branco de placa não anotada e efetuou um disparo no rosto do subtenente, que não resistiu. Amigos contaram que ele não andava armado.



14 de Março: 1 PM morto
Lotado no 39°BPM, o sargento Vinicius Moreira Eduardo morreu após ser baleado durante confronto com criminosos que controlam o tráfico de drogas em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O policial e seus colegas de farda, que integram o Grupamento de Ações Táticas (GAT) da unidade, realizavam patrulhamento de rotina e passavam pela Estrada do Conde, no bairro Pauline, quando se depararam com vários homens andando de fuzil. Assim que notaram a aproximação da viatura, os bandidos efetuaram diversos disparos. Os PMs reagiram à agressão e na troca de tiros o sargento Vinicius foi atingido na cabeça. Socorrido e levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, ele não resistiu.

14 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o sargento Primo foi baleado durante confronto com traficantes da facção Comando Vermelho (CV) que controlam a venda de drogas no Morro do Castro, no bairro Tenente Jardim, na Zona Norte de Niterói. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca. Na troca de tiros, um homem acusado de envolvimento com o tráfico no local morreu. Com ele, os PMs apreenderam um revólver calibre 38.

15 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Secretaria de Governo e adido à operação Barreira Fiscal, o sargento Júlio César de Oliveira foi baleado durante tentativa de assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele conduzia seu veículo – um Fiat Punto preto – e trafegava pelo sentido São Paulo da Rodovia Presidente Dutra, na altura do Posto 13. Quando foi abordado, em frente ao posto de combustível BR, próximo ao Habib’s, o PM reagiu e acabou atingido nas costas. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu.

15 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o capitão Aislan Menezes da Silva foi atingido oito vezes em cinco partes do corpo ao reagir a uma tentativa de assalto, no bairro Parada 40. Ele estava acompanhado pelo sócio do restaurante Lacedônia, que foi ferido no ombro. O oficial levou dois tiros na mão direta, dois no antebraço direito, um no glúteo esquerdo, um na coxa esquerda e dois na coxa direita.



15 de Março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Evaldo Barbosa Rodrigues morreu após ser baleado durante uma tentativa de assalto, no Arco Metropolitano, na altura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu.

15 de Março: 1 PM baleado
O tenente reformado da Polícia Militar Arlan Licurgo Egito, 66 anos, foi baleado durante uma tentativa de assalto na Rua Urbano Santos, no bairro Laranjal, em São Gonçalo.



19 de Março: 1 PC baleado
Lotado na 48DP, o inspetor da Polícia Civil Paulo César Domingos Manarte, 48 anos, foi baleado durante tentativa de assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele estava em uma churrascaria próximo ao viaduto do bairro K-11 quando foi abordado pelos criminosos. Atingido por três tiros, o policial foi socorrido e levado para a Casa de Saúde Nossa Senhora de Fátima, no Centro.

21 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM, o cabo Anderson Nogueira Honorato foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Japeri, na Baixada Fluminense. O PM estava na Rua Anísio Antônio da Mota, no bairro Engenheiro Pedreira, em seu HB 20 branco quando foi abordado pelo criminoso. Ele reagiu e acabou atingido no ombro. Socorrido, o policial foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Queimados, sendo posteriormente transferido para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. Ele não corre risco de morte.

24 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o soldado Alan Moura da Silva foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no local. Atingido na mão, o PM foi socorrido e levado para o hospital.



24 de Março: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o cabo Rodrigo Sumar morreu após ser baleado durante ataque na favela localizada em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Os PMs se dirigiam para a base que fica na localidade conhecida como Quadras e tiveram que desembarcar próximo à Praça do Skate porque havia um carro da concessionária de energia elétrica Light parado fechando a pista. Quando chegaram na praça, os policiais se depararam com aproximadamente oito criminosos armados que, ao perceberem a presença dos PMs, efetuaram diversos disparos. Sem qualquer chance de defesa ou reação, o cabo Sumar foi atingido na cabeça. Os bandidos fugiram e os colegas de farda do militar o socorreram e levaram para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de onde foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Como não havia neurologista na unidade de saúde, o PM precisou ser transferido para o Hospital Municipal Miguel Couto, no Méier, mas acabou não resistindo ao ferimento.

25 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o cabo Firstson Danilo Rodrigues Moura, 32 anos, foi baleado durante perseguição a criminosos, no bairro Covanca, em São Gonçalo. O PM e seu colega de guarnição realizavam patrulhamento e buscavam o Honda Civic cinza placa KVU 3214 que segundo denúncias havia sido roubado e estava praticando assaltos na região. Os policiais se depararam com o veículo na Rua Marechal Floriano e, quando a viatura passava próximo à Igreja Santo Antônio, foi atacada pelos criminosos. O PM foi atingido no braço esquerdo. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, tendo sido liberado após receber atendimento médico.

26 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o soldado Shimoda foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, no bairro Maria Paula, na divisa entre os municípios Niterói e São Gonçalo. O PM saía de sua residência quando foi abordado por dois assaltantes armados. Com medo de ter sua identidade descoberta, o soldado reagiu e acabou atingido na bacia. Os bandidos fugiram e o policial foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

26 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado Adolfo foi baleado durante ataque de traficantes que controlam a venda de drogas no Morro da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Atingido nas costas, ele foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Mesquita.

27 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o soldado Queiroz foi baleado em Cascadura, na Zona Norte do Rio. Atingido na mão direita, rosto e perna, ele foi socorrido por populares e levado para o 8° Grupamento de Bombeiros Militar, localizado na Rua Domingos Lopes, em Campinho. De lá, o PM foi conduzido ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier. Ele estava acompanhado por um homem identificado como Allan Clayton Barros Gomes, 20 anos, que também foi baleado e morreu ainda no local.

30 de Março: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Henrique da Rocha Pinto foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido de raspão no joelho, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

30 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 6° BPM (Tijuca), o soldado Morandini foi baleado durante ataque de criminosos na Tijuca, na Zona Norte do Rio. O PM, que trabalha na MotoPatrulha da unidade, trafegava pela Rua 28 de setembro quando notou uma moto com três ocupantes. Ele entrou na Rua Maxwell para se dirigir ao batalhão e quando chegou na altura da Rua Amaral foi surpreendido pelo trio, que tinha descido da moto e efetuou disparos contra ele. O PM foi atingido no braço e na perna, mas ainda conseguiu sacar sua arma e reagir, baleando um dos bandidos – que usava uma camisa laranja. Os criminosos conseguiram fugir. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Federal do Andaraí.

30 de Março: 1 PM baleado
Lotado no 22° BPM (Benfica), o sargento Gilson Sotero foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM integrava o Grupamento de Ações Táticas (GAT), que foi chamado em apoio aos policiais do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTPP) da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), que estavam encurralados. A viatura acabou atacada quando passava pela Avenida dos Democráticos. Atingido no braço, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Federal de Bonsucesso.

1° de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Vitor Hugo Lago foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido na panturrilha, ele foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso.

1° de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o subtenente Roberto Ribeiro da Silva Filho foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio.



2 de Abril: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Kennedy, o soldado Erinaldo Rodrigues Lopes, 31 anos, morreu após ser baleado durante um assalto em um posto de combustíveis, em Santíssimo, na Zona Oeste do Rio. Uma dupla assaltava o estabelecimento, localizado no sentido Santa Cruz da Avenida Brasil, quando o PM chegou para abastecer. Ao perceber a ação, ele reagiu e chegou a efetuar um disparo, mas acabou atingido e morreu ainda no local. Antes de fugir, os bandidos atiraram na câmera de segurança e na porta de vidro do posto.

4 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o sargento Cláudio dos Santos foi baleado por criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM foi baleado na localidade conhecida como Beco da Sinuca.



4 de Abril: 1 PM morto
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 37° BPM, o sargento Nilton Santos foi assassinado, em Resende. O PM – que já foi lotado no 12° BPM (Niterói) – estava em uma padaria e foi surpreendido por um homem armado que entrou no estabelecimento e de arma em punho se dirigiu à mesa onde ele estava e efetuou disparos contra o sargento, que mexia no aparelho de telefone celular e sequer teve chance de defesa. O assassino fugiu levando a pistola do policial.

5 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Fabrício Fortunato Rebeque foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido no abdômen, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, onde foi submetido a uma cirurgia.

5 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o cabo Charles de Carvalho Borges foi baleado na Favela Nova Brasília durante intenso confronto com criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas. O incidente ocorreu na Rua 2, próximo à localidade conhecida como Beco do Cofre. O PM sofreu uma fratura no fêmur direito, mas não corre risco de morte.



6 de Abril: 1 PM morto
Lotado no 12° BPM (Niterói), o soldado Thiago Machado Costa foi baleado durante perseguição a criminosos no Fonseca, na Zona Norte de Niterói. O PM campeão de kickboxing. Ele e o sargento Coelho, que realizam patrulhamento na região central do município, davam apoio ao sargento M. André e ao soldado Rodrigo, do Setor J, nas buscas ao Corolla preto placa KXZ 6568 cujos ocupantes estavam efetuando assaltos no bairro. O veículo havia sido roubado no último sábado, dia 2 de abril. Os criminosos se depararam com as duas viaturas na Rua Airosa Galvão – próximo a um dos acessos ao Morro do Boavista – e efetuaram diversos disparos. Os PMs revidaram e houve confronto. Na troca de tiros, um dos bandidos também foi atingido. Baleado na cabeça, o soldado Machado foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, onde permanece internado. Minutos após o tiroteio, deu entrada na mesma unidade de saúde Weverton Luciano Alves, vindo do Boavista. Ele não resistiu e morreu. No morro, os PMs recuperaram o Corolla – com marcas de tiros na lataria e no vidro traseiro. Um Honda Civic roubado após o confronto também foi recuperado. O soldado Machado ainda permaneceu internado durante seis dias, mas não resistiu.

7 de Abril: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho e na UPP Alemão, respectivamente, o soldado Martins e o tenente Iago Calheiros foram baleados durante incursão na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O primeiro foi atingido na mão e o segundo, que é subcomandante da UPP Alemão e apoiava o efetivo da ação, foi baleado nas costas. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. O soldado foi liberado após receber atendimento médico. Já o oficial foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde permanece internado.



7 de Abril: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o soldado Pablo Victor dos Santos Lira Alves morreu após ser baleado durante um ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro da Mangueira, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. Os policiais saíam de uma incursão e estavam na localidade conhecida como Olaria quando o soldado Lira foi atingido. Ele estava na retaguarda fazendo a segurança do beco quando foi alvejado na altura do maxilar. O PM ainda foi socorrido e levado para o Quinta D’Or, onde permaneceu internado por quase 24 horas, mas não resistiu e faleceu no dia seguinte.

7 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Turano, o soldado Abrantes foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro do Turano, no bairro Rio Comprido, na Zona Norte do Rio. Atingido na coxa, o PM foi socorrido.



9 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM, o sargento Fortunato foi baleado durante ataque de criminosos, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O incidente ocorreu na Rua Antônio Martins de Oliveira, no bairro São Mateus, próximo a Alto Diesel. O PM e outros dois colegas de farda foram escalados para serviço de apoio ao 21°BPM – área que não conhecem. Eles iam cumprir ordem de policiamento que determinava que eles ficassem baseados na localidade. No momento em que manobravam para colocar a viatura em uma posição que permitisse maior visibilidade, criminosos efetuaram disparos. Um dos tiros atravessou a porta do veículo e atingiram o sargento na perna. Ele foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nilópolis, onde foi medicado e posteriormente transferido para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. O PM não corre risco de morte.

9 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 22° BPM (Benfica), o sargento Nascimento foi baleado durante perseguição a criminosos, em Benfica, na Zona Norte do Rio. O PM estava de serviço quando tentou abordar o condutor de uma moto, que fugiu, entrando em uma vila. Ao segui-lo tentando abordá-lo, os policiais foram surpreendidos pelos disparos. O incidente ocorreu próximo ao Centro de Abastecimento do Estado da Guanabara (Cadeg). Atingido de raspão na cabeça, o sargento foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, recebendo alta após atendimento médico.

10 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Leonardo Siqueira de Araújo foi baleado durante assalto, em Saquarema, na Região dos Lagos. Desarmado, o PM estava em frente à sua casa, no bairro Porto da Roça, quando foi abordado pelo criminoso. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Nossa Senhora de Nazaré, em Bacaxá.

11 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo) e trabalhando no Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) Jóquei, o sargento Charles foi baleado durante perseguição a assaltantes, no bairro Coelho, em São Gonçalo. Os criminosos, em uma moto, estavam em fuga pela RJ-104 (Niterói-Alcântara) quando iniciaram confronto, na altura da passarela do Coelho. Os dois bandidos também foram baleados. Atingido no ombro, o sargento foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres.

12 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Turano, o soldado Luís Fernando Novaes foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro do Turano, no bairro Rio Comprido, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu próximo na altura da Rua do Bispo, próximo a um dos acessos à favela.

12 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o soldado Daniel Leonardo Mofacto foi baleado durante confronto com criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na favela localizada em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. A troca de tiros ocorreu na localidade conhecida como Beco do Efraim.

13 de Abril: 1 PC baleado
Lotado na Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), o policial civil Leonardo Cabral Aranha de Araújo, 41 anos, foi baleado pelo taxista Jaime Damião Pavel, 30, ao ser flagrado saindo de um motel em Irajá, na Zona Norte do Rio, com a mulher dele. O policial reagiu e atingiu o taxista no ombro, na coxa e na mão. Ele – que havia entrado na PM através de liminar judicial mas saiu da corporação após decisão da Justiça – não resistiu. O taxista estava com a arma do pai, que é sargento reformado do Exército.

14 de Abril: 2 PMs baleados
Lotados no 14° BPM (Bangu), o capitão Fontoura e o cabo Soares foram baleados durante confronto com criminosos da facção Terceiro Comando Puro (TCP) na Favela da Coréia, em Senador Camará, na Zona Oeste do Rio. Atingidos no rosto, os PMs foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, sendo posteriormente transferidos para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Na ação, os policiais prenderam Carlos André de Santana Costa, 18 anos, com um fuzil 556 e recuperaram o Renault Logan prata placa KXJ 4389.



14 de Abril: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Prazeres, o soldado Bruno Wilson de Souza morreu após ser baleado pelo subtenente Luiz Carlos Pereira de Assis, da Diretoria de Inativos e Pensionistas (DIP), durante uma briga de trânsito. O incidente ocorreu na Avenida Tabelião Cilmar Silva, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.



14 de Abril: 1 PM morto
Lotado no 28° BPM (Volta Redonda), o sargento Eleandro Fontes de Oliveira, 36 anos, e seu irmão, João Carlos Fontes de Oliveira, 32, foram mortos em Vassouras, onde tinham ido cobrar uma dívida. O corpo do irmão mais novo foi encontrado no Rio Paraíba do Sul, perto do distrito de Barão de Juparanã, em Valença, no dia 17. O corpo do PM foi encontrado dois dias depois, no dia 19, a cerca de 3 km do local em que os bombeiros acharam o corpo do irmão.

15 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Alemão, o soldado Diogo Luiz da Silva Canto foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na localidade conhecida como Largo do Bulufa. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

15 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Mário foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Baleado de raspão na cabeça, o PM foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão.

17 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fazendinha, o soldado Monteiro foi baleado durante ataque de traficantes da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando a venda de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Os PMs reagiram à ação criminosa e atingiram um dos bandidos, que morreu no local. Baleado de raspão, o soldado não corre risco de morte.

18 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 7 BPM (São Gonçalo), o soldado Fábio Pinto foi baleado no abdômen durante confronto no Morro da Coruja, no bairro Vila Lage, em São Gonçalo. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

18 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 12 BPM (Niterói), o sargento Canuto foi baleado durante confronto na localidade conhecida como Sem Terra, no Fonseca, na Zona Norte do Rio. Atingido no pé, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.



19 de Abril: 1 PM morto
Lotado no 3 BPM (Méier), o cabo William Ferreira da Silva, o Fechecler, 40 anos, foi assassinado no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O PM estava jogando futevolêi e no momento em que foi buscar um objeto em seu carro, foi surpreendido por dois homens que estavam em uma moto e efetuaram diversos disparos contra ele.
O policial, que foi preso em maio de 2010, aguardava julgamento em liberdade. Ele foi acusado de envolvimento no assassinato de Rogério da Rocha – amante da dançarina Elisa Pereira, a Mulher Caviar, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O crime foi orquestrado por João Luiz Corrêa Madeira, o Madeirinha, que era namorado da dançarina e foi apontado pela Polícia como chefe de um grupo de extermínio que atuava na região.



19 de Abril: 1 PM morto
Lotado no 32°BPM, o sargento Elton Santos Reis foi assassinado no bairro Lagomar, em Macaé. O PM, que estava de folga e costumava pregar, morreu com a Bíblia nas mãos. De acordo com informações preliminares, o homicídio foi uma represália à ação realizada pelo Serviço de Inteligencia (P-2) da unidade no local – que vem sendo palco de disputas entre rivais das facções Comando Vermelho (CV) e Amigos dos Amigos (ADA). Após a operação, traficantes teriam avisado que não permitiram que policiais continuassem morando no bairro – que fica localizado a poucos metros do 32°BPM.



19 de Abril: 1 PC morto
Lotado na Delegacia de Repressão às Ações do Crime Organizado e Inquéritos Especiais (Draco/IE), o inspetor Rivagner Batista dos Santos, 52 anos, foi baleado ao reagir a um assalto, na Avenida Perimetral, no Caju, na Zona Portuária do Rio. O crime ocorreu no sentido Avenida Brasil, próximo ao Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO). O policial trafegava com a viatura descaracterizada – a Nissan Frontier preta placa LLY-6770 – quando se deparou com criminosos cometendo um arrastão. Ele reagiu e houve confronto, mas sua arma – a pistola 940 Taurus – falhou. Na troca de tiros, acabou atingido por três tiros, no abdômen e na perna. O policial – que está há 13 anos na PCERJ – foi policial militar e se reformou após passar no concurso da instituição. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde foi submetido a uma cirurgia e permaneceu internado por dois dias, mas não resistiu e faleceu no dia 21 de abril.

21 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Daniel Camberlim de Matos foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio.

21 de Abril: 2 PMs baleados
Lotados no 3 BPM (Méier), os soldados David Rodrigues de Oliveira e Thiago Vieira dos Santos foram baleados por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os PMs, que trabalham na Motopatrulha, realizavam patrulhamento de rotina e passavam próximo à favela quando foram atacados. O primeiro foi atingido no braço esquerdo e o segundo na perna esquerda.

21 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 22 BPM (Benfica), o sargento Alex Sandro Cruz dos Santos foi baleado na Avenida das Lagoas, na Favela Gardênia Azul, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Atingido na boca, ele foi levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

23 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 3 BPM (Méier), o sargento Batista foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto em Pilares, na Zona Note do Rio. O PM trafegava próximo a um dos acessos ao Morro do Urubu quando foi abordado. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municiál Salgado Filho, no Méier.

23 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói) e trabalhando na Ocupação Lagoinha, o sargento Leite foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que controlam o tráfico de drogas no Complexo da Lagoinha, no Caramujo, na Zona Norte de Niterói. Os traficantes efetuaram diversos disparos contra a viatura, que acabou capotando e caiu em uma ribanceira na subida da Rua Bombeiro Américo. O soldado Lopes conseguiu sair da viatura e pediu apoio para resgatar o sargento Leite, que ficou preso às ferragens. Com uma perfuração no pescoço, o sargento foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca.

24 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 16º BPM (Olaria), o cabo Valdir Barros da Silva Júnior, 32 anos, foi baleado no bairro Alcântara, em São Gonçalo. Ele estava acompanhado por um amigo, também PM, e os dois passavam pela Rua Joaquim Laranjeiras, próximo à Praça Chico Mendes, quando foram surpreendidos por dois bandidos em uma moto vermelha. Atingido na mão, o cabo foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.

24 de Abril: 1 PM baleado
O cabo reformado da Polícia Militar Ailton Conceição Carvalhal foi baleado ao ser identificado como policial, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O PM estava em uma chopperia localizada na Rua São Mateus, no bairro Nova Cidade, quando seis bandidos em três motos chegaram e anunciaram um assalto. Com medo de ter a identidade descoberta, o policial saiu correndo. Os bandidos começaram a efetuar disparos contra ele, que acabou atingido na cabeça. O PM ainda conseguiu chegar no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Nova Cidade, onde pediu ajuda e foi levado pela viatura até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cabuís.

24 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Coordenadoria de Segurança, na Secretaria de Estado de Segurança Pública (Seseg), o cabo Rodrigo Costa Fernandes foi baleado ao reagir a um assalto, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Lojas Americanas localizada na Rua 28 de Setembro quando notou a ação criminosa e reagiu. Baleado na perna, ele ainda conseguiu atingir um dos bandidos.

24 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 41º BPM (Irajá), o sargento Moraes foi baleado durante incursão no Complexo da Pedreira, em Costa Barros, na Zona norte do Rio. O PM, que estava no blindado, foi atingido por um estilhaço que entrou pela escotilha. Ferido nos olhos, ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde aguarda por exames.

25 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier, o sargento Alcírio Melo Braga foi baleado por criminosos na Estrada Grajaú-Jacarepaguá, que liga a Zona Norte à Zona Oeste do Rio. O PM foi avisado por um motorista que bandidos realizavam um arrastão na pista e quando foi verificar a denúncia acabou atingido. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Naval Marcílio Dias, no Lins de Vasconcelos.

25 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap), o aluno soldado Fernando Moreira Ferreira, 22 anos, foi baleado na Avenida Brasil, na altura de Coelho Neto, na Zona Norte do Rio. Ele conduzia seu carro no sentido Zona Oeste, a caminho do Cfap, quando foi atingido de raspão na cabeça no momento em que passava pela passarela de Coelho Neto. O disparo foi efetuado pelos ocupantes de um Ford Ecosport preto que atiraram diversas vezes contra uma equipe do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE) que realiza blitz no local. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

26 de Abril: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Chatuba, o soldado Robson Lima da Silva foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido de raspão na mão, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

27 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no 27º BPM (Santa Cruz), um soldado que não teve o nome divulgado foi baleado durante incursão na Favela do Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Atingido na mão, ele foi socorrido e levado para o hospital.

27 de Abril: 1 PM baleado
Policial do 5º BPM (Praça da Harmonia), o soldado Jaílson de Oliveira Nunes Júnior foi baleado ao reagir a um assalto, em Mesquita, na Baixada Fluminense. O PM teve seu carro roubado em frente ao Hospital das Clínicas de Nova Iguaçu, no bairro Juscelino. O veículo foi recuperado no bairro Vila Emil, onde houve o confronto. Atingido no joelho, o policial conseguiu balear o criminosos, que morreu no local.

30 de Abril: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), o cabo Muniz foi baleado durante uma ocorrência de acidente de trânsito, na Serra do Mato Grosso, em Maricá. O PM estava no local, onde houve uma colisão, orientando o trânsito quando um policial civil aposentado passou e discutiu com o cabo, após parar o tráfego de veículos. Ele seguiu em frente, mas retornou e efetuou dois disparos contra o PM, que foi atingido nas nádegas. O policial civil aposentado também já foi policial militar.



3 de Maio: 1 PM morto
Adido à operação Lei Seca, o subtenente Cláudio Souza dos Santos foi assassinado pelas costas quando chegava em sua casa, no Condomínio Vista Alegre 1, localizado na Rua Pereira Sampaio, no bairro Mundel, em São Gonçalo. Morador do local, que faz parte do conjunto habitacional Minha Casa, Minha Vida, o PM estaria tentando impedir a implantação de uma boca-de-fumo no local.

4 de Maio: 1 PC baleado
Lotado na Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), o inspetor Flávio Castanheira foi baleado durante incursão na Favela de Manguinhos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O tiro – no peito – foi amortecido pelo colete à prova de balas usado pelo policial. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Federal de Bonsucesso e não corre risco de morte.

4 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Chatuba, o soldado Erik Thiago da Silva Pontes, 33 anos, foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhamento de rotina e passava pela localidade conhecida como Favelinha quando foi atacado. Atingido na cabeça, foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas. Ele não corre risco de morte.



5 de Maio: 1 PM morto e 2 PMs baleados
Lotados no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o sargento André Luiz Novaes e os soldados Cavalcanti e Garces foram baleados por criminosos da facção Comando Vermelho (CV) durante operação no Morro da Providência, no Santo Cristo, na Zona Portuária do Rio. Atingido na cabeça, o sargento L. Novaes não resistiu. O soldado João Paulo Cavalcanti Santos (FOTO) foi ferido no tórax e está em estado grave. O soldado Garces, baleado no ombro e no cotovelo, não corre risco de morte. Todos foram levados para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Os PMs estavam em uma viatura descaracterizada – uma Kombi branca – realizado uma operação de inteligência quando foram surpreendidos pelos traficantes no momento em que passavam pela Rua Barão da Gamboa. Eles chegaram a trocar tiros com os criminosos. Pelo menos um teria morrido. Os agentes do Bope apreenderam três armas – uma pistola 40 e duas 9mm.



5 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 33º BPM (Angra dos Reis), o subtenente Wilson dos Santos Miranda, 54 anos, morreu após reagir a um assalto em um posto de combustíveis, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM abastecia seu veículo, próximo ao shopping Grande Rio, quando dois criminosos em uma moto chegaram no estabelecimento e anunciaram o assalto. Baleado, o subtenente Miranda não resistiu e morreu ainda no local.

5 de Maio: 1 PRF baleado
Lotado na 1 DPRF (Duque de Caxias), o inspetor Felipe Farias, 31 anos, foi baleado durante luta corporal com um criminoso, na rodovia Presidente Dutra, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O policial tinha abordado um suspeito que trafegava em uma moto e, no momento da revista, o homem entrou em luta corporal com o agente. A submetralhadora .40 do policial acabou disparando acidentalmente e atingiu o cotovelo do inspetor, que foi socorrido e levado para o Hospital Gera de Nova Iguaçu, na Posse.



6 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 20º BPM (Mesquita), o cabo Fábio Júlio Leite Santos, 40 anos, morreu após ser baleado durante ocorrência, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM foi até a Estrada da Palhada apurar denúncia de que estava ocorrendo um assalto em um restaurante localizado na via. Quando entrou no estabelecimento, foi surpreendido pela reação de um dos criminosos, que efetuou diversos disparos contra ele. Aproveitando-se do policial caído no chão, o bandido ainda roubou seu fuzil. O soldado Rocha, que o acompanhava, ainda trocou tiros com o assaltante, que deixou para trás uma pistola Glock .40 e fugiu.

6 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o sargento José foi baleado ao reagir a um assalto, na Avenida Rio Branco, no Centro do Rio. Atingido no braço e na costela, ele foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

6 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o soldado Leandro Uliano Fonseca Benjamin foi baleado ao reagir a um assalto, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. O PM trafegava em sua moto acompanhado por uma mulher na garupa pela Rua São Francisco Xavier e, ao parar na altura da Rua 24 de maio para que a carona descesse, foi abordado por dois ocupantes de outra moto. Ele reagiu e mesmo baleado conseguiu atingir os dois bandidos – que seriam do Morro do Tuiuti, também em São Cristóvão. Um dos criminosos não resistiu e no momento da fuga caiu da moto, morrendo no local. O comparsa dele, mesmo ferido, conseguiu fugir. Atingido uma vez na perna e três vezes no tórax, o PM foi socorrido por uma ambulância que passava pelo local e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio, onde está sendo submetido a uma cirurgia.

6 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Igor Ramalho Martins foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido na coxa, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.



6 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE), o soldado Davi foi baleado durante ataque de criminosos no bairro Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. O PM estava escalado para reforçar o policiamento na área do 41° BPM (Irajá) e realizava patrulhamento de rotina e passava pela Avenida Vicente de Carvalho quando se deparou com um bonde – vários carros ocupados por bandidos fortemente armados. Ao notar a aproximação da viatura, os bandidos efetuaram diversos disparos, atingindo a lataria do veículo e o soldado. Ferido no antebraço, ele foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Irajá, sendo posteriormente conduzido ao Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, e recebendo alta após atendimento médico.



7 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 39° BPM (Belford Roxo), o sargento José morreu após ser baleado durante confronto com criminosos que controlam o tráfico de drogas na Favela Gogó da Ema, no bairro 13, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Na troca de tiros, dois bandidos também foram atingidos.

7 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o cabo Leonardo Mateus de Lucena foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na localidade conhecida como Largo da Cruzeiro. Atingido no abdômen, o PM foi socorrido pelo blindado e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

7 de Maio: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE), o subtenente Júlio Cézar dos Santos Braga foi assassinado a tiros e seu corpo encontrado no banco de trás de seu veículo – o Palio prata placa LLW 3584. O automóvel estava na Rua Benvindo de Novaes, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, com a chave na ignição. O PM estava de licença especial.

8 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São Carlos, o soldado Cláudio Pereira Pimentel foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Irajá, na Zona Norte do Rio. O PM trafegava em seu veículo pela Rua Carolina Amado quando, na altura da Rua Coronel Soares, foi abordado pelos criminosos, que estavam em um Renault Sandero prata. Atingido de raspão na cabeça, o PM foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Rocha Miranda, recebendo alta após atendimento médico.



8 de Maio: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Alemão, o soldado Evaldo César Silva de Moraes Filho, 27 anos, morreu após ser baleado durante ataque covarde de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O PM chegava para assumir o Regime Adicional de Serviço (RAS) quando foi alvo de tiros. Desarmado, ele subia a Avenida Central em seu carro particular.

13 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado Kapisch foi baleado ao reagir a uma tentativa de assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM estava a caminho de casa e trafegava pela Rua Simão Sunshet quando foi abordado por quatro criminosos que estavam em um Sentra preto. Ele reagiu e houve confronto. Na troca de tiros, acabou baleado no ombro esquerdo. Socorrido, o policial foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu. Ele não corre risco de morte.



15 de Maio: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Wilson Gorni Tavares foi baleado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM estava em uma feira no bairro Jardim Gramacho quando presenciou a queda de um homem obeso que quebrou uma cadeira ao sentar. O policial riu e foi surpreendido pela reação do homem, que sacou uma arma e efetuou cinco disparos contra ele. O soldado foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Moacyr do Carmo. O homem foi espancado por pessoas que presenciaram a cena. Ele foi conduzido ao Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, onde permaneceu internado durante oito dias, mas não resistiu.



17 de Maio: 1 PC morto
Lotado na Coordenadoria de Fiscalização de Armas e Explosivos (Cfae), o inspetor Robson Luiz de Macena foi assassinado em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. O policial fazia uma obra em sua residência, na Rua Teodorido de Camargo quando foi surpreendido pelos criminosos.



17 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Borel, o soldado Vitor Hugo Rodrigues Macedo Santos foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando a venda de drogas no Morro do Borel, na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Federal do Andaraí, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.



17 de Maio: 1 PM morto
O sargento reformado da Polícia Militar Geraldo Antônio Pereira morreu após ser baleado durante ação criminosa, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. O PM estava acompanhado pelo ex-policial civil Hélio Machado da Conceição, o Helinho, no interior do Novo Rio Country Club, localizado na Avenida Miguel Antônio Fernandes, quando homens encapuzados e armados com fuzis passaram em um carro e efetuaram disparos. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital de Clínicas Riomar, na Barra da Tijuca, também na Zona Oeste. O sargento – que era proprietário de uma academia que funciona no clube – não resistiu e morreu na unidade. Já Helinho levou tiros no ombro e um de raspão no peito. Duas pessoas foram vítimas de balas perdidas: o segurança Aurélio Gomes de Faria, 53 anos (atingido nas pernas e nas nádegas) e o diretor do clube, José Roberto Pontes Pereira, 65, baleado de raspão na axila por uma bala que entrou na sala onde estava. Eles foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, também na Barra.

18 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 17° BPM (Ilha do Governador), o sargento Adriano Souza Quintanilha foi baleado durante assalto em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Atingido de raspão no pescoço, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Moacyr do Carmo.

18 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o tenente Ramos foi baleado durante abordagem a um carro roubado, no bairro Galo Branco, em São Gonçalo. O PM trabalhava na Supervisão de Oficial quando se deparou com o Cross Fox preto placa LPQ 1939, na Avenida Maricá. Na tentativa de abordar o veículo, ele foi surpreendido por um rajada de pistola disparada por um dos ocupantes, que fugiram em direção ao Complexo do Salgueiro, no bairro de mesmo nome. Atingido na perna, o tenente foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê.



20 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado Eryk da Cruz Laia, 34 anos, morreu após ser baleado em tentativa de assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM trafegava pela Rua Tomás Fonseca, no bairro Cerâmica, quando criminosos emparelharam e anunciaram o roubo. O soldado ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu. Ele completaria 35 anos neste sábado, dia 21 de maio. O policial é um dos milhares que ainda aguardam a emissão do Certificado de Registro de Arma de Fogo (Craf) para ter o direito de andar armado. No ano passado, quando ainda era lotado no 2°BPM, ele relatou que vinha recebendo ameaças de morte de traficantes que implantaram uma boca-de-fumo na rua em que morava. O soldado Laia chegou a fotografar uma das ameaças, feitas através de pichação deixada no muro de sua residência, e solicitou permissão para acautelamento de uma pistola, mas a PMERJ negou.

20 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na 1 Companhia Independente de Polícia Militar (1 CIPM – Palácio Laranjeiras), o cabo Fernando foi baleado ao escapar de um sequestro, em Guadalupe, na Zona Norte do Rio. O PM sofreu um assalto em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, e acabou sendo levado pelos assaltantes. Ao avistar uma viatura, na Avenida Brasil, ele se jogou do carro e acabou baleado no ombro. Socorrido, foi levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer. Os bandidos fugiram levando o carro do PM – o Peugeot 208 branco placa LRS 2654.

21 de Maio: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado Diego Martins Botelho de Moura foi baleado, na Rua Bernardino de Melo, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM tinha saído da boate 100luxxor em seu IX 35 prata quando foi interceptado por um veículo HB 20 branco. O ocupante do veículo efetuou diversos disparos contra o automóvel do policial, que foi atingido no maxilar.



22 de Maio: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, o soldado Eduardo Ferreira Dias tinha acabado de assumir o serviço e estava levando outro PM para fazer a rendição no posto de policiamento existente próximo à quadra da escola de samba, na Rua Visconde de Niterói, quando foi surpreendido por um ‘bonde’ de criminosos. Ao avistar a viatura, os bandidos efetuaram diversos disparos, atingido o soldado Dias no peito. Socorrido, ele ainda foi levado para o Hospital Quinta D’Or, mas não resistiu.

22 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Companhia Maré, o cabo César Norberto Alves de Amaral Júnior foi baleado durante ataque na Penha, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhamento de rotina e passava pela Avenida Brasil quando, na altura da Favela Parque União, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, a equipe desconfiou de um CrossFox. Os policiais deram ordem de parada, mas o motorista desobedeceu, dando início a uma perseguição até o viaduto da Penha – onde o condutor do veículo reduziu e efetuou disparos contra a viatura. Atingido, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas. Ele não corre risco de morte.

23 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, o soldado Jeferson Santos Padilha foi baleado durante ataque de criminosos da facção Amigos dos Amigos (ADA) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Caju, na Zona Portuária do Rio. Os PMs passavam pela localidade conhecida como Amendoeira quando foram atacados. O tiro resvalou no fuzil e atingiu o ombro do soldado Padilha, que tem suspeita de fratura na clavícula mas não corre risco de morte.

26 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na UPP Arará/Mandela, o soldado Roque Souza da Cruz foi baleado durante ataque de criminosos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Ele e um colega de farda estavam na viatura baseada na Avenida Leopoldo Bulhões, em frente à estação ferroviária de Manguinhos, quando dois bandidos em uma moto branca passaram e efetuaram disparos contra os PMs. Atingido na perna, ele foi socorrido e levado para o Hospital Central do Exército (HCE), em Benfica.

26 de Maio: 1 PM morto
Lotado no 24° BPM, o sargento Cristiano Santos da Silva morreu após ser baleado durante um assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM estava acompanhado pela esposa em seu veículo, na Rua Luís Tomás, no bairro Luz, quando foi abordado pelos criminosos. Os bandidos fugiram levando a arma, o cordão e o relógio do sargento.

29 de Maio: 1 PM baleado
Lotado na UPP São João, o soldado Domingos foi baleado durante ataque de ocupantes de um Nissan Livina vinho, de placa não anotada, próximo à localidade conhecida como Paul Rolou, no bairro Engenho Novo, na Zona Norte do Rio. Os PMs realizavam operação de rotina e quando tentaram abordar o veículo foram surpreendidos pela reação dos ocupantes, que efetuaram disparos sem sequer abrir a janela do carro. Os tiros foram dados através do vidro e o soldado foi atingido no braço. Ele não corre risco de morte.

31 de Maio: 3 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Parque Proletário, o soldado Bruno da Silva Pinto e outros dois PMs que não tiveram os nomes divulgados foram baleados durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio.

1 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), o sargento Passos foi baleado no interior do alojamento da unidade. O disparo teria sido acidental. Atingido na região do maxilar, ele foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

2 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o sargento Pardal foi baleado durante incursão na Favela Santa Lúcia, no bairro Parada Angélica, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Integrante do Patrulhamento Tático Móvel (Patamo), o PM foi atingido no braço. Na ação, dois acusados de envolvimento com o tráfico de drogas no local também foram baleados – um morreu e outro foi atingido na perna. Com o projetil alojado no braço esquerdo, o sargento foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes e não corre risco de morte. Um fuzil AK foi apreendido.

3 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Diego Peixoto da Silva foi baleado na perna durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro do Fallet, em Santa Teresa, na região central do Rio. O PM, que estava em apoio, foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

3 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Chatuba, o soldado Raimundo Pinheiro Júnior foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.



3 de Junho: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Parque Proletário, o soldado Bruno Couto da Costa morreu após ser baleado durante uma tentativa de assalto, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. O PM, que estava de licença, trafegava pela Rua Rufino de Alencar quando foi abordado pelos criminosos que tentaram roubar sua moto. Baleado, ele acabou caindo do veículo e morreu no local. Os bandidos fugiram levando o aparelho de telefone celular da vítima.

7 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na UPP Coroa/Fallet/Fogueteiro, o soldado Saulo Gomes de Oliveira foi atingido na perna durante ataque na Rua Guaicurus, no Morro do Fogueteiro, em Santa Teresa, na região central do Rio. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

7 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM, um policial que não teve o nome divulgado foi baleado durante tentativa de assalto.

7 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 9° BPM (Rocha Miranda), o cabo Silva Rodrigues foi baleado ao tentar abordar um veículo, em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio. O PM realizava patrulhamento de rotina com seu colega de farda quando os dois avistaram o Hyundai I30 preto placa KQO 6076, na Avenida dos Italianos. O carro consta como roubado.
Ao notar a aproximação da viatura, os ocupantes do automóvel efetuaram disparos contra os PMs. Atingido, o cabo foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, sendo posteriormente transferido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Ele está internado em estado grave.

7 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fallet/Coroa/Fogueteiro, um soldado que não teve o nome divulgado foi baleado durante ataque de criminosos na Rua Guaicurus. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Ele não corre risco de morte.

9 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o cabo Otherbal Augusto Moreira Neto foi baleado na localidade conhecida como Quatro Bicas. Atingido no ombro, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

11 de Junho: 2 PRFs baleados
Lotados na 1 Delegacia de Polícia Rodoviária Federal (Duque de Caxias), os agentes da PRF Marcelino e Henrique Nunes foram baleados durante perseguição a assaltantes, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Os policiais estavam na viatura, em uma rua próxima à Rodovia Washington Luiz (BR-040), fazendo o retorno para acessar novamente a rodovia, quando viram um carro com as mesmas características de um que havia acabado de ser roubado na região. Eles tentaram abordar o veículo e deram ordem de parada ao motorista, que não obedeceu e tentou fugir. Os agentes da PRF acabaram surpreendidos pela reação dos ocupantes do automóvel, que desceram do carro efetuando disparos contra a viatura. Os policiais reagiram à agressão e houve troca de tiros. No confronto, os dois agentes acabaram atingidos – um no ombro e o outro de raspão na orelha. Os três bandidos que estavam no carro conseguiram fugir e abandonaram o automóvel em um local próximo. Os policiais foram socorridos e não correm risco de morte. Minutos após o incidente, um dos criminosos envolvidos na troca de tiros deu entrada baleado no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, em estado grave.

12 de Junho: 1 PM morto
Lotado no 9° BPM (Rocha Miranda), o sargento Alvarani Sousa Dutra morreu após ser baleado durante uma tentativa de assalto, no Cachambi, na Zona Norte do Rio. O PM saía de casa, na Rua Honório, quando foi abordado pelos criminosos. Ele reagiu, mas acabou atingido e não resistiu aos ferimentos.



14 de Junho: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o tenente Márcio Ávila Rocha, 30 anos, morreu após ser baleado durante um assalto em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio. O PM trafegava com sua moto pela Rua Gonzaga Bastos quando foi abordado pelos criminosos. Ele reagiu, mas acabou atingido. Ele ainda foi socorrido por uma viatura do 6 BPM (Tijuca) e levado para o Hospital Federal do Andaraí, mas não resistiu aos ferimentos.

14 de Junho: 1 PM baleado
O subtenente reformado da Polícia Militar Arnaldo Silva de Oliveira, 59 anos, foi baleado em Campos. O PM estava na rua, no bairro Novo Eldorado, em Guarus, quando foi surpreendido pelos criminosos. Atingido no braço, peito, nádegas, bolsa escrotal e coxa, ele foi socorrido e levado para o Hospital Ferreira Machado, no bairro Caju.

14 de Junho: 1 PM morto
O subtenente reformado da Polícia Militar Waldir Nobre da Silva foi baleado ao tentar impedir um assalto a um supermercado no bairro Vila Canaã, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Atingido na cabeça, ele foi socorrido e levado para o Hospital estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna.O PM permaneceu internado

15 de Junho: 1 PM morto
Lotado no Grupamento Aeromóvel (GAM), o sargento Eduardo Araújo de Souza foi baleado na Avenida Brasil, na altura da Favela Cidade Alta, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. Ele e o soldado Pedro Ambrosini Monteiro Coelho seguiam para Niterói para assumir o serviço quando foram surpreendidos pelos disparos efetuados por um bandido que se assustou com uma manobra realizada pelo PM. Socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, o sargento Eduardo não resistiu aos ferimentos.

15 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Arará/Mandela, o soldado Gilmar de Souza Silva foi baleado durante ataque na localidade conhecida como Pontilhão. Atingido na perna e no ombro, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

15 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 39 BPM (Belford Roxo), o subtenente Marins foi baleado durante tentativa de assalto, na Pavuna, na Zona Norte do Rio. O PM saía da casa da sogra, na Rua Juno, e no momento em que ia abrir a porta de seu carro foi surpreendido pelos assaltantes que estavam em um Celta prata. Ele conseguiu trocar tiros com os bandidos, mas foi atingido na perna. Socorrido pela própria esposa, foi levado para o Hospital Federal da Posse, no bairro de mesmo nome, em Nova Iguaçu.

16 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o soldado Cruz foi baleado no pé durante ocorrência em Guadalupe, na Zona Norte do Rio. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

16 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado M. Cruz foi baleado durante confronto com assaltantes de carga que haviam roubado um carro do Sedex dos Correios em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

17 de Junho: 1 PM morto
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o subtenente Manuel Primo Lisboa, 52 anos, morreu após ser baleado em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Ele estava acompanhado pela esposa, Adriele de Carvalho do Carmo, 30, que também foi atingida. O crime ocorreu em Cabuçu. O PM, que era pré-candidato a vereador por Queimados, onde morava, foi atingido por pelo menos oito disparos. O casal foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Cabuçu e posteriormente transferido para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse. O subtenente não resistiu aos ferimentos. Ele estava há 31 anos na corporação e deixou um filho.

17 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o sargento Alfredo Pereira da Silva Júnior foi baleado em Coelho Neto, na Zona Norte do Rio. Trabalhando na MotoPatrulha de Trânsito (MPTran), o PM foi atingido na Rua Cajurana. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

18 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o cabo Thiago Augusto Alves de Oliveira foi baleado durante tentativa de assalto, no bairro Parque Duque, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O PM reagiu e trocou tiros com os criminosos. Dois deles foram atingidos. Duas vítimas de balas perdidas deram entrada no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, minutos depois. Baleado na região do maxilar, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes.

18 de Junho: 1 PM morto
Lotado no 24° BPM (Queimados), o sargento José Roberto, 41 anos, foi morto por criminosos que controlam o tráfico de drogas no bairro Guarajuba, em Paracambi. O policial – que trabalhava na guarda do batalhão e nas horas de folga vendia gás – estava em um bar com a namorada quando foi surpreendido pelos bandidos, que roubaram a sua arma. O PM tentou recuperar a mesma e acabou sequestrado e morto pelos bandidos, que atearam fogo no veículo do policial – o Spacefox placa LQV 7143 – com o corpo dele no banco traseiro.

19 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 5º BPM (Praça da Harmonia), o soldado Fábio Ferreira da Silva foi baleado no momento em que chegava com um amigo doente ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio. O PM, que socorria o filho de um sargento da Marinha, foi surpreendido por cerca de 30 homens, que foram à unidade de saúde resgatar o traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family, 28 anos. Um grupo de aproximadamente 20 homens fortemente armado com fuzis, pistolas e inclusive granadas, chegou em quatro motos e cinco carros ao pátio externo do hospital por volta das 3h30. Eles renderam um ambulante, colocando-o como escudo, e ao avistarem a viatura da custódia no estacionamento da unidade jogaram uma granada, que quebraram o vidro da porta. Logo depois se assustaram com o carro do PM e efetuaram diversos disparos contra o automóvel, atingindo o policial e o amigo que ele socorria. Simultaneamente, aproximadamente outros dez criminosos rendiam uma funcionária da emergência e a obrigavam a mostrar em que andar estava o preso. Um enfermeiro foi baleado pelas costas. Ele está em estado grave. O PM foi submetido a uma cirurgia e permanece internado. O amigo dele não resistiu aos ferimentos.

20 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São João, o soldado Deivison Carvalho Sebastião foi baleado durante ataque de criminosos que controlam o tráfico de drogas no Morro São João, no Engenho Novo, na zona Norte do Rio. Atingido na perna, o PM foi socorrido e não corre risco de morte.

21 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no Aterro Presente, o soldado Melo foi baleado durante tentativa de assalto, em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio. O PM saía de sua residência quando foi abordado pelos criminosos. Com medo de ser identificado como policial por causa de um Documento em Razão de Defesa (DRD) que estava no banco traseiro de seu veículo, ele se atracou com um dos assaltantes e saiu correndo. Os bandidos atiraram e o acertaram na coxa esquerda. Ele foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Rocha Miranda, sendo posteriormente transferido para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, e não corre risco de morte.

22 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o soldado Tiago Rodrigues de Campos foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na favela localizada em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. O PM foi atingido na perna no momento em que passava pela localidade conhecida como Efraim.

22 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o cabo César David Breves foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido na perna e no tórax, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas. Uma munição parou no aparelho de telefone celular que estava no colete do PM. Uma moradora, identificada como Isabel Cristina Soares Martins, foi vítima de bala perdida e acabou atingida no braço.

22 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 9º BPM (Rocha Miranda), o sargento Alex foi baleado durante confronto no Morro da Congonha, em Vaz Lobo, na Zona Norte do Rio. Atingido no antebraço, o PM foi socorrido e não corre risco de morte. Na ação, um acusado de envolvimento com o tráfico de drogas no local foi preso e um fuzil AR15 e uma pistola foram apreendidos.

23 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 35° BPM (Itaboraí), o cabo Sabino foi baleado durante troca de tiros com assaltantes, em Itaboraí. Os bandidos fugiam de equipes do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), que iniciaram perseguição na altura de Rio Bonito, e foram surpreendidos por um cerco no trevo de Manilha. No confronto, o PM foi atingido no calcanhar, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior. Ele não corre risco de morte.

23 de Junho: 1 PM morto
Lotado no 40º BPM (Campo Grande), o sargento João Batista Simas, 46 anos, morreu após ser baleado, na Avenida Dom João VI, próximo à estação Mato Alto, do BRT Transoeste, na altura de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. O PM estava no interior de um Chevrolet Sonic prata quando criminosos em outro veículo emparelharam com o automóvel e efetuaram diversos disparos de fuzil. O policial e um amigo que o acompanhava foram atingidos. Socorridos, eles foram levados para o Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande. O sargento não resistiu. A outra vítima permanece internada.



23 de Junho: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o sargento Ericson Rosáro, 34 anos, morreu após ser baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. A van com os PMs de Manguinhos passava pela Avenida Dom Hélder Câmara, na altura do Buraco do Lacerda – a poucos metros de distância da Cidade da Polícia – quando foi atacada. Os policiais sequer tiveram tempo de revidar ou se proteger. Atingido na cabeça, o sargento ainda foi socorrido e levado para o Hospital Quinta D’Or, em São Cristóvão, mas não resistiu.

24 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o cabo Ubirajara Soares Pereira foi baleado ao reagir a assalto, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM havia saído de casa e pegava a Rodovia Presidente Dutra para se dirigir a Niterói, onde assumiria o serviço no 12°BPM, quando foi abordado pelos criminosos que estavam em um Cobalt. Assim que um dos bandidos desceu armado com uma pistola, o policial reagiu e efetuou dois disparos contra ele, aproveitando para correr. O assaltante também atirou, atingindo o cabo no tornozelo. O crime ocorreu próximo ao Motel Lugano. O tiro transfixou e o PM foi liberado após receber atendimento médico no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse.

24 de Junho: 2 PCs baleados
Lotados na Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), os inspetores Carlos Henrique e Bruno Setton foram baleados durante confronto com criminosos da Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O primeiro foi atingido no pé e o segundo de raspão na cabeça.

24 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 35° BPM (Itaboraí), o subtenente Ivany Abreu Filho foi baleado durante incursão na Favela da Reta, em Itaboraí. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior. Ele não corre risco de morte.

26 de Junho: 1 PM morto
Lotado na Diretoria Geral de Pessoal (DGP) e adido à Coordenadoria Especial Militar da Prefeitura da Cidade do Rio (Cem – PCRJ), o tenente Denilson Teodoro de Sousa, 49 anos, morreu após ser baleado durante uma tentativa de assalto, na Pavuna, na Zona Norte do Rio. O PM – que trabalhava na segurança do prefeito Eduardo Paes – tinha deixado seu cunhado na Rua Sargento Antônio Ernesto e no momento em que se preparava para seguir viagem foi abordado pelos criminosos. Os bandidos estavam no Renault Fluence prata placa PXB 5004 e no Fiat Idea Adventure prata placa KZC 3693. O oficial trocou tiros com os assaltantes – que fugiram deixando no local o Fiat Idea. Atingido, ele foi socorrido por familiares que pediram apoio a uma viatura do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE) – que foram abrindo caminho até o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. O PM não resistiu.

26 de Junho: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o soldado José Josenilson Alves dos Santos, 30 anos, foi morto a tiros por criminosos que saíam de um baile funk na Favela Cidade Alta, em Cordovil, na Zona Norte do Rio. O corpo dele foi encontrado por volta das 5h40, na Avenida Brasil, na altura do viaduto da Favela Parada de Lucas. Ele estava com um coldre vazio na cintura e sem qualquer documento de identificação. Quando a ambulância do Corpo de Bombeiros chegou, um suspeito que mexia na vítima fugiu em um Honda Civic. A identidade do policial só foi confirmada no Instituto Médico Legal (IML), após reconhecimento, no final do dia. O PM estava escalado para trabalhar no horário de 6h às 18h e saiu de casa, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, a caminho de Bonsucesso, na Zona Norte. No entanto, não chegou ao destino.

27 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o cabo Marcos Ariel Barrionuevo foi baleado no braço durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na localidade conhecida como Bar da Loura. O tiro ainda atingiu de raspão o peito do PM, que foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

28 de Junho: 1 PM baleado
Lotado no 3° BPM (Méier), o soldado Leandro Moreira foi baleado ao reagir a assalto no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio. O PM estava na Rua Cruz e Souza quando foi abordado pelos bandidos. Atingido no tórax e no abdômen, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde está sendo submetido a uma cirurgia.

29 de Junho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Pavão-Pavãozinho, o soldado Erick dos Santos Rocha Medeiros foi baleado ao reagir a assalto, no bairro Guaxindiba, em São Gonçalo.



2 de Julho: 1 PM morto
Lotado no Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur), o sargento Wendel de Paula Lima morreu após ser baleado ao reagir a um assalto, na subida do Morro da Moenda, em Austin, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

3 de Julho: 2 PMs baleados
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, os soldados Mário Luís de Oliveira Marinho, 25 anos, e Luiz Fernando da Silva Barreto foram baleados durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O ataque ocorreu na Rua 29. Os PMs revidaram e no confronto o homem identificado como Cassiano Santos Vargas, o Ja Roule, 28, também foi baleado. Com ele, foi apreendido um fuzil. Duas moradores, identificadas como Cristiane Pires Machado Pereira da Silva, 38, e sua filha, Nathália Pires Machado Pereira da Silva, 19, foram atingidas por balas perdidas. Todos foram socorridos e levados para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, sendo liberados após receber atendimento médico – com exceção do criminoso, que não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

3 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 33° BPM (Angra dos Reis), o cabo Silva foi baleado durante perseguição no bairro Ilha das Cobras, em Paraty. O PM foi socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Atingido no abdômen, ele não corre risco de morte.



5 de Julho: 1 PM morto
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 27° BPM (Santa Cruz), o sargento Alexandre Moreira de Araújo, 44 anos, morreu após ser baleado durante incursão na Favela do Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Os policiais entravam na favela pela localidade conhecida como Canaã quando foram recebidos a tiros. Eles revidaram a agressão e houve confronto. O PM, que era o segundo homem da patrulha, foi atingido na região esquerda do tórax, um pouco abaixo da axila. O sargento ainda foi socorrido e levado por uma equipe do Grupamento de Ações Táticas (GAT) da unidade para o Hospital Municipal Pedro II, mas não resistiu.

5 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Luiz Antônio Torres do Nascimento foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido por estilhaços na cabeça, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, de onde recebeu alta após atendimento médico.

5 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o cabo Perozo foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na Favela Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. O projétil ficou alojado no colete e o PM recebeu alta após atendimento médico.

7 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (), o sargento Neto foi baleado enquanto realizava patrulhamento de rotina e passava pela Via Light, na altura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM foi surpreendido por uma perseguição de equipes do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) a criminosos que estavam no Prisma placa LRG 6100. Na ação, o carro – que era roubado – foi recuperado, três acusados de praticar assaltos na região foram presos e um foi morto. Atingido no braço, o PM foi socorrido e levado para o hospital.

7 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), o sargento J. Ricardo foi baleado ao trocar tiros com assaltantes, no bairro Jardim Sumaré, em Mesquita, na Baixada Fluminense. O PM trafegava pela Avenida Miguel Couto quando foi abordado pelos bandidos – que estavam no Agile vermelho placa KOR 4067 (que constava como roubado na área da 35DP no dia 29 de junho). Após o confronto, os criminosos fugiram deixando o veículo para trás. Atingido na perna esquerda, o sargento foi socorrido e levado para o Hospital Moacyr do Carmo.

7 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Macacos, o soldado Elias José Fernandes Filho foi baleado na localidade conhecida como Pau da Bandeira. Atingido de raspão na cabeça, ele foi socorrido e levado para o hospital.

8 de Julho: 1 PM morto
O sargento reformado da Polícia Militar Márcio Portes morreu após ser baleado durante um tentativa de assalto em Itaguaí, na Zona Oeste do Rio. O PM conduzia seu veículo quando foi atingido. Ele acabou perdendo o controle do carro e capotando com o automóvel.

9 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Jacarezinho, o soldado Luiz Felipe Ferreira foi baleado, na Avenida Brasil, na altura de um dos acessos à Favela Vila do João, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Socorrido, o PM – que encontra-se em licença médica e respondendo a CRD – foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso.

10 de Julho: 1 PM morto e 1 PM baleado
Lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Lins, o soldado Victor Eric Braga Faria, 26 anos, e o cabo Rafael Vinícius de Oliveira Mello foram baleados durante mais um ataque covarde de criminosos, na Zona Norte do Rio. Os PMs estavam a caminho da base no Morro do Encontro, no Complexo do Lins, e trafegavam pela Rua Barão do Bom Retiro, na altura do antigo zoológico, em Vila Isabel, quando os bandidos atacaram a viatura. O soldado Erica, que estava ao volante, foi atingido na cabeça. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Naval Marcílio Dias, onde deu entrada em estado grave. Baleado na mão, o soldado R Melo não corre risco de morte. O soldado Eric não resistiu aos ferimentos. Ele deixa esposa e filho de 3 anos.

11 de Julho: 1 PM morto
O subtenente da reserva remunerada Carlos Magno Sacramento, 54 anos, morreu após ser baleado dentro de um bar, no bairro Apolo III, na divisa entre os municípios de Itaboraí e São Gonçalo. O PM bebia no estabelecimento – próximo ao galpão da concessionária de energia elétrica Ampla – quando foi surpreendido pelo criminoso, que efetuou diversos disparos contra ele e fugiu levando sua arma. O subtenente não teve tempo de se defender ou reagir.

12 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 16° BPM (Olaria), o cabo Fábio de Almeida Alves, 40 anos, foi baleado, no bairro Jardim América, na Zona Norte do Rio. Ele e o colega de farda, soldado Garcia, cumpriam ordem de serviço quando foram atacados a tiros. Atingido na virilha, o cabo Fábio foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas na Penha, onde foi submetido a uma cirurgia.

16 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Alexandre Henrique Mello da Silva foi atingido no braço esquerdo, durante confronto na saía de um baile funk na localidade conhecida como Largo do Samba. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

16 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Babilônia, o soldado Flávio Teixeira Nogueira foi baleado ao reagir a um assalto, em Guadalupe, na Zona Norte do Rio. O PM trafegava pela Rua Argos quando foi abordado pelos criminosos, que queriam roubar seu carro. Ele reagiu e conseguiu atingir um dos assaltantes – que morreu ainda no local. Com ele, foi apreendida uma pistola 9mm. Atingido no braço, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

16 de Julho: 1 PM morto
Lotado no 12° BPM (Niterói), o soldado Carlos Eduardo dos Santos Mira foi baleado durante incursão na localidade conhecida como Sem Terra, no Morro do Bumba, no Cubango, na Zona Norte de Niterói. Ele foi atingido por um tiro de fuzil, que entrou pelo braço e passou pela axila, transfixando o peito. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, mas não resistiu.

16 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 20° BPM (Mesquita), o soldado Esteves foi baleado durante confronto com assaltantes, na rodovia Presidente Dutra, na altura de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Trabalhando no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Austin, o PM e seu colega de farda – cabo Monsores – ouviram no rádio da corporação o alerta sobre um Cobalt branco que estava praticando assaltos na região. Ao se deparar com a viatura, os ocupantes do veículo efetuaram diversos disparos. Os policiais revidaram a agressão e na troca de tiros um dos bandidos também foi atingido, mas conseguiu fugir, sendo carregado pelos comparsas. Os criminosos abandonaram o Cobalt branco e roubaram um Ônix preto, já na altura de Queimados, fugindo em direção ao bairro Engenheiro Pedreira, em Japeri. Atingido por estilhaços no rosto, o soldado Esteves foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, recebendo alta após atendimento médico.



18 de Julho: 1 PM morto
O major Max Alexandre Geraldo de Sousa, 45 anos, morreu após ser baleado por traficantes, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O oficial era chefe de gabinete do coronel Josias Quintal, atual prefeito de Santo Antônio de Pádua. Morador de Icaraí, na Zona Sul de Niterói, o major trafegava em seu Hyundai Santa Fé pela Rua José Carlos Vieira, no bairro Jardim Paraíso, quando, próximo à Favela do Dique, foi abordado pelos criminosos. Ele tentou desviar, mas acabou atingido por um disparo. Na tentativa de fugir, saiu do carro e correu, deixando o veículo para trás, mas acabou baleado outras quatro vezes. A versão foi contada pelo próprio PM, que chegou a ligar para o 190 e foi levado por policiais do 21°BPM ao posto de assistência médica Abdon Gonçalves. Na unidade de saúde ele ainda deu o número de telefone e endereço da família. No entanto, seu estado de saúde piorou e enquanto aguardava transferência acabou não resistindo aos ferimentos. Durante perícia realizada no local do crime, agentes da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) arrecadaram estojos de fuzil cal 5,56.

18 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o cabo Aguiar foi baleado na perna durante perseguição e troca de tiros com assaltantes, no bairro Mutondo, em São Gonçalo. Na ação, dois criminosos também foram atingidos – um morreu no local e outro foi internado sob custódia no Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê. O policial recebeu atendimento médico na mesma unidade de saúde. Os PMs apreenderam uma pistola 9mm e um revólver calibre 38 e recuperaram um carro roubado.

18 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, um soldado que não teve o nome divulgado foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido de raspão no braço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, tendo recebido alta após atendimento médico.

19 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Turano, o soldado Nicolino foi baleado durante ataque à base. Atingido de raspão na cabeça, ele foi socorrido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. O PM não corre risco de morte.

19 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Vila Cruzeiro, o soldado Montenegro foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

21 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Coroa/Fallet/Fogueteiro, o soldado Kellington foi baleado durante ataque à base. Atingido no braço, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Ele teve alta após receber atendimento médico.

21 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Cidade de Deus, o soldado Francisco foi baleado durante ataque de criminosos à viatura em que trafegava próximo ao Conjunto Itamar, na Favela Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Os PMs tinham recebido uma informação de que na localidade havia um traficante com grande quantidade de drogas e foram até o endereço verificar a denúncia. No local, um criminoso foi flagrado com 184 sacolés de cocaína de R$ 10 e 175 tabletes de maconha – sendo 22 de R$ 30 e 153 de R$ 10 -, além de 98 trouxinhas de maconha. Atingido de raspão na costela, o policial foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

21 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o sargento Wellington Quintanilha Almeida foi baleado, no bairro Areal, em Itaboraí. Surpreendido por dois homens em uma moto, o PM foi atingido por cinco tiros – quatro nas costas e um no braço. Ele está internado no Hospital Estadual Alberto Torres e corre o risco de ficar paraplégico.



23 de Julho: 1 PM morto
Lotado no Grupamento de Polícia Ferroviária (GPFer), o soldado Delaney da Silva Barbosa morreu após ser baleado ao ser reconhecido como policial militar, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O crime ocorreu no Bar Delas, localizado na Rua Kilvio Santos, no bairro Rosa dos Ventos. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, mas não resistiu aos ferimentos.


Soldado PM Vinícius Ferreira Dias, 32 anos

24 de Julho: 1 PM morto
Lotado no Centro de Recrutamento e Seleção de Praças (CRSP), o soldado Vinícius Ferreira Dias, 32 anos, foi baleado ao ser identificado como policial durante um assalto sofrido no momento em que ele chegava na casa da mãe para o almoço de domingo, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O PM foi salvo por um motorista que trafegava pela Rua Falcão da Frota, em Realengo, e não hesitou em colocá-lo em seu carro e socorrê-lo ao Hospital Estadual Albert Schweitzer. Atingido por dois tiros – um no abdômen (que perfurou intestino grosso, fígado e pulmão) e outro no braço, o PM chegou a passar por uma operação para retirada do projétil do abdômen e a equipe médica aguardava que o quadro clínico dele melhorasse para que pudesse submetê-lo a uma segunda cirurgia, para retirada daquele que estava alojado na axila. No entanto, o policial não resistiu e faleceu após três dias internado. Ele é irmão do soldado Eduardo Ferreira Dias, 37, que morreu após ser baleado durante um ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro da Mangueira, em São Cristóvão, na Zona Norte. O crime ocorreu no último dia 22 de maio.

25 de Julho: 1 PM baleado
Lotado no 22° BPM (Benfica), o subtenente Téo foi baleado em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, por criminosos que passaram efetuando disparos contra ele. PM trabalha no policiamento de trânsito e fica na Avenida Democráticos, próximo a uma agência do banco Bradesco, na altura da Avenida Itaoca. Há um mês ele efetuou uma prisão no local. Sem colete, o policial foi salvo pela carteira, onde o projetil ficou alojado. Atingido na mão, ele sofreu uma fratura no dedo. O subtenente foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, sendo transferido com apoio do Grupamento de Ações Pré Hospitalares (GAPH) da PMERJ para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

27 de Julho: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Alemão, o sargento Anderson foi baleado durante de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio.

2 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 41° BPM (Irajá), o soldado David Batista Bonfim foi baleado durante uma tentativa de assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM trafegava pela Estrada Mirandela, no Centro, em sua moto quando foi abordado pelos assaltantes. Os bandidos fugiram em um Chevrolet Ônix prata em direção à Favela da Chatuba, em Mesquita, também na Baixada. Atingido no ombro e na perna, o policial foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, sendo posteriormente transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo. A transferência foi feita com auxílio da equipe médica do Grupamento Aeromóvel (GAM). Um dos projéteis estaria alojado na coluna, entre as vértebras. Os médicos ainda farão uma nova avaliação.

2 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Macacos, o soldado M. Inácio foi baleado durante ataque de criminosos da facção Amigos dos Amigos (ADA) que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio. O tiro transfixou o joelho. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Federal do Andaraí, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

2 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 15BPM (Duque de Caxias), o cabo Jairo foi baleado durante confronto na Favela do Dique, no bairro Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele foi levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, e posteriormente transferido para o Caxias D’Or.

3 de Agosto: 1 PC baleado
Titular da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), o delegado Felipe Curi foi atingido no ombro durante confronto no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O delegado coordenava uma operação que reúne 300 policiais civis e 150 policiais militares com o objetivo de cumprir 47 mandados de prisão – sendo 15 de criminosos já presos e outros 32 foragidos da Justiça. Cerca de 10 procurados já foram localizados. Após receber atendimento médico no Hospital Estadual Getúlio Vargas, o delegado recebeu alta.

5 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos, o soldado Callegari foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas na favela localizada em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Atingido no tornozelo, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Federal de Bonsucesso.

5 de Agosto: 1 PM morto
Lotado na Diretoria de Inativos e Pensionistas (DIP), o sargento Alexandre da Fonseca Barros morreu após ser baleado durante um assalto, na Vila da Penha, na Zona Norte do Rio. O crime ocorreu na Travessa Brandura.

7 de Agosto: 1 PM morto
O subtenente reformado Cássio Murilo da Silva foi morto ao ter sua identidade descoberta, durante assalto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O PM estava em um bar localizado na Avenida Olinda, no bairro Adrianópolis, quando seis bandidos armados com pistolas entraram no estabelecimento e fizeram um arrastão roubando todos os clientes. Eles pegaram a chave do carro do policial, mas como era automático e eles não conseguiram sair com ele, voltaram para o bar e ao notar que o subtenente estava armado, efetuaram disparos contra ele. Os criminosos fugiram levando a pistola dele.

7 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 20BPM, o cabo Assis foi baleado durante incursão na Favela da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse.

8 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 18BPM, o tenente Rodrigo Barcellos de Rezende foi baleado durante incursão no Morro da Covanca, no bairro Tanque, na Zona Oeste do Rio. Atingido no braço, ele foi socorrido e levado para o Hospital Federal Cardoso Fontes, em Jacarepaguá.

9 de Agosto: 1 PC morto
Lotado na 58ªDP, o inspetor Eduardo Justo Sebastião morreu após ser baleado na porta de casa, no bairro Piam, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. O autor do disparo fugiu levando a arma e moto do policial, que deixa dois filhos e esposa grávida.

10 de Agosto: 1 PM morto
Lotado na Força Nacional de Segurança, o soldado da Polícia Militar do Estado de Roraima Hélio Vieira Andrade, 35 anos, morreu após ser baleado ao entrar na Favela Vila do João, no Complexo da Maré, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. O PM, que trabalhava no reforço da segurança para os Jogos Olímpicos do Rio, conduzia a viatura acompanhado capitão Alen Marcos Rodrigues Ferreira (do Acre) e pelo também soldado Rafael Pereira (do Piauí) quando errou o caminho e entrou na favela controlada por traficantes da facção Terceiro Comando Puro (TCP). Ele chegou a ser socorrido e conduzido ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu e morreu na noite da quinta-feira, dia 11.

12 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 3° BPM (Méier), o tenente Laviola foi baleado durante incursão no Morro do 18, em Água Santa, na Zona Norte do Rio. Atingido na cabeça, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Salgado Filho.

12 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, o soldado Da Costa foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Atingido nas nádegas, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

12 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias), o soldado Costa foi baleado durante operação na Favela Vila Ideal, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Atingido na perna, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Doutor Moacir Rodrigues do Carmo, no bairro Beira-Mar.

12 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Babilônia, o soldado Soares foi baleado nas costas durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas no Morro Chapéu Mangueira, no Leme, na Zona Sul do Rio. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

12 de Agosto: 1 PC baleado
Lotado na Divisão Antisequestro (DAS), o inspetor Rubens Souza Bretas foi baleado ao reagir um assalto, na Rua Hadock Lobo, na Tijuca, na Zona Norte. Atingido no braço e no tórax, foi socorrido por uma viatura da UPP Turano que passava e levado para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

13 de Agosto: 1 PRF baleado
Lotado no Amazonas e enviado ao Rio de Janeiro para reforçar a segurança durante os Jogos Olímpicos, o inspetor da Polícia Rodoviária Federal Marzio Deon Resende, 56 anos, foi baleado durante tentativa de assalto no Trevo das Missões, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas e posteriormente transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo.

14 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Camarista Méier, o soldado Guimarães foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na localidade. Os bandidos atiraram contra a viatura, atingindo o PM no maxilar. Outro policial sofreu ferimentos provocados por estilhaços no tornozelo e um terceiro soldado foi salvo pelo colete. O PM foi socorrido e levado para o Hospital Naval Marcílio Dias e não corre risco de morte.

15 de Agosto: 1 PC baleado
O policial civil aposentado Edésio Gama foi baleado durante tentativa de assalto no estacionamento do shopping Barra Garden, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Atingido no pé, ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge.

16 de Agosto: 1 PM morto
Lotado no 41° BPM (Irajá), o soldado Márcio Allevato Pereira foi assassinado, em Guadalupe, na Zona Oeste do Rio. O PM tinha acabado de sair de serviço e estava fardado no interior de seu veículo – o Kia Sportage placa KRG 2807 – quando foi surpreendido pelos criminosos, na Rua Marcos de Macedo. O crime ocorreu cinco meses após sua reintegração à Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) por força de uma liminar judicial. O policial havia sido expulso da corporação após ter sido acusado de envolvimento com o Jogo do Bicho e ter sido denunciado por homicídio qualificado acusado de participar do assassinato de um sargento do Corpo de Bombeiros, em novembro de 2010. De acordo com a Polícia, o crime havia sido encomendado pelo contraventor Rogério Andrade, de 53 anos. A vítima, o sargento do Corpo de Bombeiros Antônio Carlos Macedo, era seu ex-chefe de segurança e teria sido o responsável pelo atentado a bomba que acabou matando o filho do contraventor, sete meses antes. Segundo as investigações da Delegacia de Homicídios (DH), a intenção do bombeiro era dominar a exploração de caça-níqueis e jogo do bicho na Zona Oeste do Rio. Além de Allevato – apontado como um dos atiradores -, outros quatro PMs foram denunciados na época por envolvimento no crime.

17 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 12° BPM (Niterói), o cabo Divan Pacheco Marins, 35 anos, foi baleado durante uma tentativa de assalto, no bairro Manilha, em Itaboraí. O PM estava na Rua Arthur Souto quando foi abordado por dois criminosos em uma moto. Ele reagiu e na troca de tiros acabou atingido na perna. Os dois assaltantes também foram baleados e permanecem internados sob custódia.

18 de Agosto: 1 PM baleado
O sargento reformado da Polícia Militar Edelnir Ribeiro Borges foi baleado durante tentativa de assalto, em Ricardo de Albuquerque, na Zona Norte do Rio. Atingido na perna esquerda, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, sendo posteriormente transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio.

19 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Alemão, o soldado Andrei de Carvalho Liers foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha. O ataque ocorreu na localidade conhecida como Mineiros. Atingido na panturrilha, o PM foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas.

19 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 12 BPM (Niterói), o soldado Soares foi baleado durante confronto na Travessa Iara, no Cubando, na Zona Norte de Niterói. Atingido na boca, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca.

20 de Agosto: 1 PM morto
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São Carlos, o sargento Júlio César Fraga Reis, 38 anos, morreu após ser baleado no bairro Boa Esperança, em Seropédica, na Baixada Fluminense. O PM, que estava de licença pois era candidato a vereador pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), saía de um evento na Rua Piraí acompanhado por Lenilson dos Santos Lourenço, 42, e Adriana Chaves quando foi surpreendido pelos ocupantes de um Hyundai Tucson. Seus dois acompanhantes também foram atingidos. Socorridos para o Hospital de Seropédica, Lenilson não resistiu. Já Adriana não corre risco de morte.

20 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Caju, o cabo Azeredo foi baleado durante ataque de criminosos da facção Amigos dos Amigos (ADA) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Caju, na Zona Portuária do Rio. O ataque ocorreu na Rua Paraíso, na Favela Parque Alegria. Atingido na perna, o PM foi socorrido.

21 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Chatuba, o cabo Januário foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. O PM estava no interior de uma viatura e seguia para a base Cajá para a rendição do plantão. Atingido na nuca, ele foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas. Ainda não há informações sobre seu estado de saúde.

21 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no 18° BPM (Jacarepaguá), o soldado Júlio foi baleado durante tentativa de assalto em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Atingido de raspão no abdômen, o PM foi socorrido e não corre risco de morrer.



22 de Agosto: 1 PM morto
Lotado no 7° BPM (São Gonçalo), o subtenente Roterdan morreu após ser baleado durante incursão na Favela da Lodial, no bairro Boaçu, em São Gonçalo. O PM ainda foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, mas não resistiu. Ele estava de colete, mas o tiro o atingiu pela lateral do corpo, abaixo do braço.

24 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Adeus, o soldado Alex Rocha foi baleado durante ataque de criminosos da facção Comando Vermelho (CV) que continuam controlando o tráfico de drogas no Complexo do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio. Os policiais do Grupamento Tático de Polícia de Proximidade (GTPP) realizavam patrulhamento de rotina e passavam pela Rua Régio quando avistaram um homem armado. Eles pediram auxílio para fazer um cerco no momento em que um disparo foi efetuado, atingido o PM na panturrilha. Socorrido, ele foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Alemão.

24 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueirinha, o soldado Januário foi baleado durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na favela localizada no bairro Vila Centenário, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Atingido na coxa direita, ele não corre risco de morte.

24 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado no Serviço de Inteligência (P-2) do 7º BPM (São Gonçalo), o cabo De Paula foi baleado durante incursão no Morro da Alma, no bairro Amendoeira, em São Gonçalo. Atingido no peito e de raspão na cabeça, o PM foi salvo pelo colete. Socorrido, o policial foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, recebendo alta após atendimento médico.

24 de Agosto: 2 PMs baleados
Lotados no 3º BPM (Méier), os sargentos Edson Damir Alexandrino, 47 anos, e Elenilton da Silva Pereira, 45, foram baleados durante ataque de criminosos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Os PMs realizavam blitz na Avenida Dom Hélder Câmara, próximo ao viaduto de Benfica – entre as favelas do Jacarezinho e de Manguinhos – quando foram atacados. Enquanto o sargento Damir foi atingido na perna, o sargento Elenilton foi baleado de raspão no braço. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, e não correm risco de morte.

25 de Agosto: 2 PMs baleados
Chefe do Serviço de Inteligência (P-2) do 35º BPM (Itaboraí), o capitão Magalhães, e à disposição do Grupo de Apoio à Promotoria (GAP), o cabo Marcelo Queiroz, foram baleados durante incursão na Favela da Reta, em Itaboraí. O oficial foi atingido na perna, enquanto o cabo foi baleado no braço. Os dois foram socorridos e levados para o Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior, no bairro Nancilândia. Eles não correm risco de morte.

26 de Agosto: 1 PC baleado
Lotado na Delegacia de Roubo e Furto de Cargas (DRFC), o inspetor Gilberto Pestana Fontoura foi baleado na Pavuna, na Zona Norte do Rio. Ele contou que reagiu à investida criminosa e que conseguiu atingir dois dos bandidos. Atingido no abdômen, Gilberto foi socorrido e levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

26 de Agosto: 1 PM baleado
Lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São João, o soldado Edgard foi baleado no ombro durante ataque de criminosos que continuam controlando o tráfico de drogas na região.

27 de Agosto: 1 PM morto
Lotado no 21º BPM (São João de Meriti), o sargento Henrique Martins foi baleado durante ataque de criminosos, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM estava em uma ocorrência de recuperação de veículo roubado quando bandidos passaram atirando. O sargento ainda foi socorrido e levado para o Posto de Atendimento Médico (PAM) Meriti, mas não resistiu.

29 de Agosto: 1 PM morto
Lotado no 4° BPM (São Cristóvão), o sargento Marcio José Mendonça, 42 anos, foi morto em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM estava em uma loja de venda de cestas básicas, na Rua Belkiss, quando foi surpreendido pelos criminosos. O filho dele, que trabalhava no estabelecimento, também foi atingido. Socorrido, foi levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu.

31 de Agosto: 1 PM morto e 1 PM baleado
Subcomandante do 4° Comando de Policiamento de Área, o coronel Ivanir Linhares, 49 anos, morreu após ser baleado, em Maricá. O motorista dele, sargento Luiz Cláudio Carvalho da Silva, também foi atingido. O oficial – que já foi comandante do 3°BPM e do 20°BPM – estava há 29 anos na corporação. Ele e o sargento Carvalho ainda chegaram a ser socorridos e levados para o Hospital de Maricá, sendo posteriormente transferidos para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo, mas o coronel não resistiu. Ele foi atingido por sete tiros. O sargento permanece internado.

31 de Agosto: 1 PM baleado
O sargento Nilson de Oliveira Pinto foi baleado durante tentativa de assalto, no trecho Manilha-Itaboraí da BR-101. O crime ocorreu em frente ao Arena Texas, na altura do bairro Três Pontes, em Itaboraí. Socorrido, o PM foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, no Colubandê, em São Gonçalo, onde permanece internado. O estado de saúde dele é estável.

1° de Setembro: 1 PM baleado
Lotado no 15° BPM (Duque de Caxias) e em apoio ao 21º BPM (São João de Meriti), o sargento Flaubert foi baleado na perna durante incursão no Morro da Igrejinha, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. O PM foi atingido no momento em que desceu do veículo blindado para retirar as barricadas que impediam a passagem das viaturas. Socorrido, ele foi levado para o Hospital Mario Lioni

FONTEhttps://robertatrindade.wordpress.com/estatistica-de-policiais-mortos-e-baleados-em-2016/

Postar um comentário

AS MAIS DOS ULTIMOS 30 DIAS

FOTOS ON LINE

ACIOLLYVERSATIL@HOTMAIL.COM