ANUNCIE SUA EMPRESA AQUI

OBRIGADO POR VOSSA VISITA***

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Obras do Sistema Corumbá serão retomadas neste mês/Obra de implantação da adutora entre Luziânia e Valparaíso***


Obras do Sistema Corumbá serão retomadas neste mês
A construção do complexo teve início em janeiro de 2009 e, a partir do reinício da construção, a expectativa é de que a conclusão ocorra em cerca de 18 meses
Goiás Agora





Obra de implantação da adutora entre Luziânia e Valparaíso (Foto: Saneago)
As obras do Sistema Produtor Corumbá, que aguardavam parecer do Ministério Público Federal para liberação de recursos da Caixa Econômica Federal (CEF), serão retomadas em julho. A construção do complexo teve início em janeiro de 2009 e, a partir do reinício da construção, a expectativa é de que a conclusão ocorra em cerca de 18 meses.

O projeto é uma iniciativa dos Governos de Goiás e do Distrito Federal, executada por meio do Consórcio Corumbá – Saneamento de Goiás S.A. (Saneago) e Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb).

O Sistema Produtor Corumbá vai atender, em Goiás e no Distrito Federal, cerca de 650 mil habitantes, já durante a fase inicial de implantação. Com a conclusão da primeira etapa do projeto, essa abrangência será de 1,3 milhão de pessoas e, ao finalizar a segunda etapa, o número poderá atingir aproximadamente 2,5 milhões de usuários.

A estimativa é que a vazão inicial de água produzida seja de 2.800 litros por segundo, sendo metade para ser distribuída pela Saneago e metade pela Caesb. Na execução da obra, a Saneago é responsável pela parte de captação de água no reservatório Corumbá IV, estação de bombeamento em Luziânia e 12,7 km de uma adutora e, a Caesb, pela Estação de Tratamento de Água em Valparaíso e os 15,3 km restantes da mesma adutora.

Para executar os itens de responsabilidade da Saneago, foi contratado o consórcio EMSA/CCB. O valor inicial previsto para a execução do empreendimento era de R$ 175 milhões, por parte da companhia goiana. No primeiro contrato, foram pagos R$ 46 milhões com recursos da Saneago e Ministério das Cidades, para construção de adutora e estrada de acesso.

No segundo contrato, foram pagos R$ 7 milhões, com recursos Saneago e Ministério das Cidades, para captação de água. Em relação à parte da obra já realizada, atualmente a captação está 60% concluída e, a adutora, 97%, tendo sido feita a montagem da tubulação. Estão pendentes ainda a aquisição de equipamentos eletromecânicos e a energização, o que inclui linhas de transmissão, subestação e todos os quadros de comando.

Segundo o presidente da Saneago, Jalles Fontoura, houve uma nova avaliação financeira o que resultou na redução desta fase contratual e por isso foi feito um termo aditivo para corrigir o valor de R$34 milhões para R$15 milhões.

Ele destaca que a obra é de grande relevância para a capital do país e toda a Região do Entorno Sul, porque garantirá água potável para o abastecimento dos municípios goianos de Luziânia, Novo Gama, Valparaíso de Goiás e Cidade Ocidental, além de cidades do Distrito Federal para os próximos 20 ou 30 anos.

Além disso, viabilizará a construção de futuros loteamentos, conjuntos habitacionais e novos projetos comerciais que vão impulsionar o desenvolvimento econômico dessa região.
FONTE Goiás Agora /http://www.emaisgoias.com.br/obras-do-sistema-corumba-que-vao-garantir-abastecimento-do-entorno-sul-serao-retomadas-neste-mes/
Postar um comentário

AS MAIS DOS ULTIMOS 30 DIAS

FOTOS ON LINE

ACIOLLYVERSATIL@HOTMAIL.COM