OBRIGADO POR VOSSA VISITA***

ENTORNOSUL 190 COM PROFESSOR SGT ACIOLLY

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Médico é condenado a 10 anos por estuprar pacientes durante consultas, em Goiânia


Médico é condenado a 10 anos por estuprar pacientes durante consultas, em Goiânia
Ao todo, mais de 30 mulheres procuraram a polícia para denunciar o profissional, mas na maioria dos casos, o tempo para relatar o crime prescreveu. Defesa disse que ainda não foi informada da sentença.
Por Vitor Santana, G1 GO

Médico foi condenado por estuprar pacientes durante consultas, em Goiânia (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
O médico Joaquim de Sousa Lima Neto, de 58 anos, foi condenado a dez anos de prisão por três estupros e três violações sexuais contra pacientes durante consultas em Goiânia. Ele está no Núcleo de Custódia do complexo penitenciário desde janeiro desse ano, quando foi preso pela Polícia Civil. A defesa informou que ainda não tomou conhecimento da sentença.
Ao todo, mais de 30 mulheres procuraram a delegacia para denunciar o médico. Porém, na maioria dos casos, o prazo para denunciar o crime já havia prescrito. A condenação foi dada pela juíza Placidina Pires no último dia 15.
Segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça, o Ministério Público denunciou o médico pelos dois crimes. Conforme a representação, os crimes ocorreram entre 1994 e janeiro deste ano. A forma de atuação, ainda segundo órgão, ocorria sempre de forma semelhante. Ele introduzia o dedo nas genitais das vítimas e as ofendia verbalmente enquanto elas estavam deitadas na maca, dentro do consultório, para a realização da consulta.
Uma paciente contou que sofreu um abuso sexual durante um procedimento de cauterização. Inicialmente, ela não teve coragem de contar aos familiares sobre o caso. “Foi totalmente humilhante para mim a forma como ele me tratou”, desabafou.
Já a defesa alegou que, devido à altura do médico, ele não teria condições de estuprar as vítimas da forma que foi relatado no processo. Além disso, argumentou que o corpo humano possui um músculo chamado sartório que, para haver relações sexuais, a mulher teria que estar com ele relaxado. Caso ela contraísse esse músculo, não haveria como ter a conjunção carnal.
A juíza recusou a tese da defesa, “porque o emprego de força física por parte do agente se mostra suficiente para vencer a resistência da ofendida e, consequentemente, consumar a conjunção carnal, notadamente quando se trata de mulheres com compleição física inferior a dos agressores”, pontua na sentença.
Ela pontuou ainda que, exigir da vítima esforço físico para evitar a penetração seria o mesmo que culpa-la pelo ato.
Em sua defesa, o médico ainda apontou que realizava os exames sempre na presença de sua secretária. Porém, esse fato não foi comprovado analisando as imagens de câmera de segurança do hospital.
O advogado Caio Victor Lopes Tito, que representa o médico, informou que ainda não tem conhecimento da decisão. “Não vamos nos pronunciar nesse momento porque ainda não fomos notificados dessa condenação até agora”, explicou.

Em nota, o Conselho Regional de Medicina (Cremego) explicou que após a prisão do médico instaurou uma sindicância para apurar a conduta profissional e o procedimento ainda está em andamento. “A condenação do médico não interfere na tramitação do processo no Cremego”, diz o comunicado.
Atualmente, ele encontra-se em situação regular junto ao conselho, podendo exercer normalmente a medicina no estado.
 G1 Goiás.

GOIÂNIA

Preso na cadeia de Luziânia posta fotos e até comenta em publicação sobre operação policial em redes sociais Woshington Oliveira escreveu em post sobre prisão de rival: 'Agora vai pagar pelo que fez, vai conhecer o inferno'. Governo informou que apreendeu celular e isolou detento.


Por Paula Resende, G1 GO
Preso posta foto em rede social de dentro do presídio de Luziânia
O preso Woshington de Deus Oliveira atualizava o perfil dele em uma rede social de dentro da unidade prisional de Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. Ele postava fotos e ainda comentava em outras publicações.

“Agora vai pagar pelo que fez, vai conhecer o inferno”, comentou o preso em uma foto de uma operação policial.
O comentário foi feito na terça-feira (19), após uma ação realizada em Cristalina, também no Entorno do DF.

Já a última foto postada foi no último dia 16, era uma “selfie” deitado em uma cama da cela. Woshington ainda usava um terço amarrado ao pulso.
Após a TV Anhanguera questionar a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) sobre o fato, o perfil do detento foi excluído. Em nota, o órgão informou que apreendeu o celular e isolou o preso, que vai responder a processo disciplinar.


Preso comenta, de dentro da cadeia, publicação sobre operação policial em Cristalina (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)
G1 Goiás.

Pastor matou filho e enteado para promover igreja e mãe sabia, diz juiz Crianças foram estupradas e queimadas vivas dentro de casa, em Linhares. O pastor George Alves já está preso pelo crime. A pastora Juliana virou ré no processo, acusada de omissão.

Por Bruno Dalvi e Gabriela Ribetti, TV Gazeta

Pastora presa pela morte dos filhos ficará em presídio de Colatina, Noroeste do ES
A decisão judicial que determinou a prisão da pastora Juliana Sales,diz que ela sabia dos “supostos abusos sexuais” sofridos pelos filhos, Kauã e Joaquim, que morreram carbonizados em um incêndio em Linhares, e que ela e o marido, o pastor Georgeval Alves, tinham planos de usar a morte dos filhos como forma de ganhar notoriedade e ascensão religiosa.
A ordem de prender a pastora partiu do juiz André Dadalto, da 1ª Vara Criminal de Linhares. De acordo com a decisão, Juliana sabia dos desvios de caráter do marido, e mesmo assim apoiava os planos dele de se promover na igreja.

Para o Ministério Público, assassinar os próprios filhos estava nos planos do casal. Seria uma tragédia a ser usada pelo pastor para se promover na igreja.
“O pastor George, em parceria com a pastora Juliana, buscava uma ascensão religiosa e aumento expressivo de arrecadação de valores por fiéis e, para esta finalidade, ceifou a vida dos menores Kauã e Joaquim para se utilizar da tragédia em seu favor”, diz a decisão.

Juliana também estava ciente sobre as diferenças de tratamento que George dava para os filhos e o enteado. A decisão diz que George deixava faltar alimento, medicamento e atendimento médico para as crianças.

Troca de mensagens
Para o juiz, Juliana também tinha ciência do comportamento sexual incompatível com a pregação do marido. Em uma troca de mensagens pelo celular, a pastora dizia ter 'nojo' e o pastor dizia se sentir 'imundo' e um 'lixo' por seus comportamentos.
Já em uma mensagem que enviou para a mãe, a pastora afirma que dormiu bem após a morte das crianças. Em outra troca de mensagens com o pastor George, Juliana diz: "eu não estou preparada para dar errado".

E em uma conversa com outros pastores, ela afirma: "não sei se vou conseguir ser forte até o final".

Pastor George Alves é indiciado pela morte de irmãos Joaquim e Kauã, em Linhares (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Irmãos relataram abusos
De acordo com a decisão, os irmãos Kauã e Joaquim já haviam relatado, na escola, os abusos sexuais que sofreram.
Em certas ocasiões, Kauã chorava desesperadamente, mas alegava aos seus professores que não podia contar o motivo.
Joaquim, também na escola, relatava que sofria abusos sexuais. Os pais compareceram no estabelecimento de ensino afirmando que os abusos não eram praticados no âmbito doméstico e familiar.
O Ministério Público diz que o casal se defendia afirmando que a culpa pelos abusos era de uma outra criança, de 5 anos.
Além disso, a decisão diz que Juliana e George não tomaram nenhuma providência após Kauã ter “sofrido ‘maldades’ por parte de dois ‘caras’ na piscina”.
Pastores mexeram na cena do crime
A decisão da Justiça traz outra revelação. Há relatos de que após a morte dos irmãos o pastor e a pastora foram até a casa, jogaram vários objetos no quarto das crianças e retiraram quase todos os objetos depois, inclusive lençóis e roupas de cama, entregando-os a terceiros para serem lavados.

Bombeiros saem com sacos plásticos de casa onde crianças morreram em Linhares (Foto: Reprodução / TV Gazeta)

O caso
Joaquim, de 3 anos, e Kauã, de 6 anos, morreram carbonizados dentro de casa, em Linhares, no dia 21 de abril. O marido de Juliana, o pastor George Alves, foi acusado de estuprar, agredir e queimar as crianças vivas. O terceiro filho da mulher não estava na casa no momento do crime.
Meninos de 3 e 6 anos morreram carbonizados em incêndio em Linhares, no Espírito Santo (Foto: Raphael Verly/ TV Gazeta)
George Alves está preso desde o dia 28 de abril, mas a prisão dele era temporária.
Agora, o MP conseguiu a prisão preventiva de Juliana e de George, por tempo indeterminado, pelos crimes de duplo homicídio, estupro de vulneráveis e fraude processual. George ainda vai responder pelo crime de tortura.
Prisão da pastora

A pastora Juliana Sales Alves sabia, segundo o Ministério Público do Espírito Santo, dos riscos que os filhos corriam por estarem sozinhos com o marido dela, o pastor Georgeval Alves, acusado de estuprar, agredir e queimar as crianças vivas dentro de casa
Essa omissão é um dos motivos para a prisão dela, que aconteceu na madrugada desta quarta-feira (20), na casa de um amigo da família, em Minas Gerais.
https://globoplay.globo.com/v/6824533/

ALÉM DO PROJETO QUE VISA A CRIAÇÃO DO ESTADO DO PLANALTO CENTRAL NA REGIÃO DO ENTORNO DO DF, EXISTEM MAIS 13 PROJETOS QUE VERSAM SOBRE A CRIAÇÃO DE NOVOS ESTADOS NA FEDERAÇÃO.


Conheça os projetos de criação de novos estados 


Por Waldemir Acioly de Melo
Para iniciar este artigo quero ir a fundo nos assuntos debatidos desde os tempos do Brasil império cujo governo de transição no período pós imperial em suas proposituras agregou em suas constituintes o tema em epigrafe, ” A criação de novos estados na federação. Desse o Brasil império a questão de criação de novas províncias como também a implementação de emendas ou leis que viessem trazer legalidade aos atos e anseios da coletividade. 
A questão da criação de novas províncias/estados a partir dos debates ocorridos nas Assembleias Constituintes brasileiras (1823, 1890, 1934,1946 e 1988). 
Foram alvo de discussões e embates acirrados onde nem sempre os resultados foram um consenso comum. Interesses diversos como a concessão de parcelas de coparticipação e até interesses voltados a demandas latifundiárias e de projeção politicas pessoal. Por outro lado, assim como houve a resistência da coroa Portuguesa e seus mandatários em aceitar um pais livre e independente cuja produtividade e arrecadações seriam de responsabilidade de um governo independente, assim é em nossos dias. Regiões produtivas onde a arrecadação contribui para um superávit da balança comercial são a porta de entrada de recursos que mantem a máquina em seu pleno funcionamento. Voltando as questões constitucionais, no que versa a criação de novas unidades dentro da federação, primeiramente discute-se a Constituinte de 1823. Em seguida analisa-se rapidamente os dois únicos casos de criação de novas províncias ocorridos no período imperial: Amazonas (1850) e Paraná (1853) focalizando as razões que permitiram a criação. Prosseguindo examina-se as constituintes de 1890, 1934 e 1946 analisando as propostas de criação de novas unidades da Federação e os motivos que as inviabilizaram. Segue-se a discussão sobre a criação do estado do Tocantins cujo projeto era inviável e não correspondia aos interesses da elite e mandatários do poder na época. Na Constituinte de 1987/1988, enfim a discussão dessa proposta foi de fato consolidada. As propostas de criação de novos estados na federação a luz dos constrangimentos e efeitos institucionais das escolhas e processos anteriores segue se em curso e na contramão de interesses escusos. Enfatizar sobre esse tema deriva se de uma visão moderna em acreditar que osso faz parte da articulação por melhorias e uma independência administrativa cuja gestão visa a aplicação de recursos e consequentemente uma expansão e progresso para a região em que se emancipa. A criação de novos estados dentro da federação fortalece de certo modo e a hipótese que orienta esse projeto que visa também amenizar o impacto do déficit econômico como também requerer uma união de interesse entre as elites regionais aonde se dá o movimento autonomista e as elites centrais. 


Existem dentro do território nacional mesmo que adormecidos movimentos e projetos engavetados na câmara federal, que versam sobre a criação de novos estados, ao todo são contam-se 13 (treze) regiões reivindicando o status de estado membro da Federação: Tapajós (PA), Carajás (PA), Araguaia (MT),Solimões (AM), Maranhão do Sul (MA), Gurguéia (PI), São Francisco (BA), Santa Cruz (BA), Planalto Central (DF, MG, GO), Triângulo (MG), São Paulo do Sul (SP), Iguaçu (PR, SC) e Minas do Norte (MG). 


Além desses, multiplicam-se no Congresso Nacional as iniciativas para abertura de um novo ciclo de divisão política e administrativa do país. O Senado e a Câmara examinam a criação de mais 7 (sete) estados e um território federal nas regiões Norte e Centro-Oeste do país. São eles: Aripuanã e Mato Grosso do Norte (no Mato Grosso); Xingu (no Pará); Rio Negro, Juruá, Uirapuru e Madeira (no Amazonas) e o território federal de Fernando Noronha, hoje pertencente a Pernambuco. Algumas propostas avançam com sinal verde de comissões do Congresso. É o caso da criação dos estados do Rio São Francisco, por desmembramento da Bahia; do Gurguéia (Piauí); do Mato Grosso do Norte (Mato Grosso); do território federal de Fernando de Noronha. Uma dezena desses novos estados nasceria a partir de um único projeto de decreto legislativo, apresentado em dezembro de 2002 pelo deputado federal mineiro João Pimenta da Veiga, ex-ministro das comunicações do governo do presidente Fernando Henrique Cardoso (Gazeta Mercantil, 04/12/2002, p. A-9) 


Tramitam atualmente no Congresso Nacional várias propostas de criação de novos Estados e Territórios. O coordenador da Frente Parlamentar de Trabalho para a Criação de Novos Estados e Territórios do Brasil, deputado Ronaldo Dimas (PSDB-TO), ressaltou que a Assembleia Nacional Constituinte de 1988 não se limitou a criar o Estado do Tocantins, mas determinou a instituição de uma Comissão de Assuntos Territoriais com o objetivo de debater as demais sugestões encaminhadas. 

Na época, Ele enfatizou que, durante todo o ano de 1989, a Comissão de Assuntos Territoriais concluiu pela necessidade de divisão da Amazônia e sugeriu a criação do Estado do Tapajós. "As sugestões da Comissão de Assuntos Territoriais não foram acatadas até hoje, mas o tema da divisão do território nacional continua ocupando as atenções de um grande número de parlamentares. Atualmente, tramitam nas duas Casas do Congresso pelo menos 13 propostas de criação de novos Estados e Territórios no País. A análise isolada de cada um deles impede, no entanto, que se chegue a um consenso em torno do que é realmente viável e importante". 


De acordo com parlamentares, que integram a Frente defendem a discussão do tema de forma ampla, no Congresso Nacional, "uma vez que estão envolvidas questões cruciais para o País como: a racionalidade administrativa; a soberania; a oferta de oportunidades iguais para todos os brasileiros - em especial aqueles que vivem em regiões isoladas e, até mesmo, inóspitas; a governabilidade; a segurança nacional; a justiça fiscal e tributária e a equidade na distribuição de renda e de riquezas, pela promoção do desenvolvimento econômico e social; o uso sustentável dos recursos naturais e a preservação ambiental".

ACIOLLY ENTORNO SUL 190

https://sgtaciolly.blogspot.com

quarta-feira, 20 de junho de 2018

ALGO SERÍSSIMO ESTÁ PARA ACONTECER! BOLSONARO SE ENCONTRA COM MILITARES ...

Polícia Militar e Bombeiros intensificam trabalho na Romaria


Hootsuite · 

Polícia Militar e Bombeiros intensificam trabalho na Romaria

A Capital da Fé de Goiás já está pronta para receber todos os romeiros. Um dos pontos de maior preocupação é a segurança dos milhares de pessoas que passam pela cidade durante os dez dias de Festa. 
Tanto o Corpo de Bombeiros quando a Polícia Militar já estão preparados para a Romaria 2018 e desenvolveram ações para oferecer mais segurança aos devotos que vierem à Trindade durante este período. “Todo o planejamento da instituição está sendo feito em parceria com a integração com outros órgãos da segurança pública do Estado, bem como com a Igreja e com a Prefeitura”, afirmou o comandante Emerson.


ALESSANDRI FALA SOBRE...Portaria da discórdia Líderes da Polícia Militar não aceitam ingerência de delegados da Polícia Civil para investigar militares. Secretário determinou reestudo do caso para evitar conflito







Alexandre Carvalho COMPARTILHA VIA FACEBOOK


CORRETO O CORONEL ALESSANDRI👋👋👋

· 


FOTO DA REUNIÃO DAS LIDERANÇAS DE MILITARES COM O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA



Da redação
O presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar (Assof), tenente-coronel Alessandri da Rocha Almeida se reuniu com o secretário de Segurança Pública e Justiça, Irapuan Costa Júnior para protestar contra uma portaria da SSPJ que dá poderes a delegados da Polícia Civil presidir inquéritos em casos de crimes contra a vida cometidos por militares. “A portaria é absolutamente inconstitucional e fizemos ver ao secretário que a medida não pode prosperar para não provocar um mal-estar ainda maior na tropa e corrermos o risco de os militares cruzarem os braços”, explicou. 
Por um lado, a portaria estabelece uma reserva para que somente a Corregedoria da Polícia Militar investigue crimes comuns no âmbito da Justiça Militar e faça as investigações, presida o inquérito e aplique as medidas. Esse quesito provocou uma onda de protestos dos delegados da Polícia Civil também que queriam investigar tudo. Mas, na sequência a mesma medida administrativa manda que em casos de crimes dolosos contra a vida a investigação seja presidida por um delegado civil.
“Essa matéria está judicializada aqui em Goiás e pacificada no resto do país, patenteando a postura de que somente militares investigam e apuram fatos envolvendo militares. O que os delegados querem é estabelecer na Polícia Civil uma espécie de controle externo da Polícia Militar, coisa descabida”, frisa o tenente-coronel Alessandri.
A novidade surgida com a reforma do Código de Processo Penal Militar tem gerado muitas dúvidas sobre sua aplicação e dado interpretações duvidosas, a ponto do secretário Irapuan ter determinado novo reexame da situação para equilibrar a contenda. “O secretário convocou o comandante-geral da Polícia Militar e o delegado-geral da Polícia Civil para que as assessorias das duas forças policiais encontrem um equilíbrio para a questão”, explicou o presidente da Assof.
Alessandri explicou ao secretário de Segurança Pública que a insatisfação na tropa é tamanha que muitos cogitam cruzar os braços. “Ficamos todos à mercê de uma ingerência indevida de um delegado da Polícia Civil em casos de puro cumprimento do dever por um policial militar que resulte em morte de um civil”.
A Federação Nacional das Entidades de Militares (Feneme) endossou a preocupação da associação dos oficiais da PM para o risco de quebra de princípios basilares da atuação dos militares, como respeito à hierarquia, disciplina e proteção aos direitos dos subordinados.
“A Polícia Militar é uma instituição que está na ponta da espada na defesa da sociedade e não pode ficar à mercê de interpretações duvidosas de uma legislação que claramente resguarda os direitos dos militares. Vamos continuar na defesa de nossos praças e oficiais e se preciso vamos insistir na demanda judicial para fazer valer nossas prerrogativas”, finalizou o tenente-coronel Alessandri.

FONTE RAIO MORTAL

VEREADOR BOAZ DE ALBUQUERQUE RECEBE EQUIPE DO GPT EM SEU GABINETE


Com espirito de liderança e compromisso com as causas publicas, Boas de Albuquerque tem se destacado por sua competência e carisma. 

Ao abraçar as causas e luta por melhorias para o nosso povo e nossa gente , esse grande líder tem sido um referencial.  Com uma politica voltada as causas sociais esse referencial em pessoa cujo exemplo a ser seguido por queles que desejam fazer algo pelo município é um referencial. 

Amigo das causas da Segurança Publica sempre presente nos bastidores da Gloriosa Policia Militar.
Recebeu hoje em seu gabinete os Policiais Militares e amigos  Josiclei e 3ºSgt Leal ambos pertencem a G.P.T do município de Luziânia.        
Dentre assuntos voltados  a melhorias  a ser conquistada para a Segurança Publica numa conversa que  foi muito produtiva onde o vereador solicitou maior policiamento nas áreas escolares como Professor Belim, CEMAS, e toda nossa região Norte como Vila Esperança, Vila Portuguesa, Setor Kennedy, Vila São José, Setor Serrinha, Jofre e toda nossa cidade. 
Agradeçido pela receptividade o vereador em destaque coloca seu gabinete a disposição.

5ª DRPC: PC-GO (1ª DDP/BR - Vila Guará) recupera 20 (vinte) celulares roubados e apreende arma, drogas e munições. Dois foram presos e um menor é investigado, em Luziânia. Devoluções a partir de 2a feira.





5ª DRPC: PC-GO (1ª DDP/BR - Vila Guará) recupera 20 (vinte) celulares roubados e apreende arma, drogas e munições. Dois foram presos e um menor é investigado, em Luziânia.

Devoluções a partir de 2a feira.
A POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DE GOIÁS / PC-GO, por meio da 1ª DP de Luziânia, prendeu em flagrante B.L.B.G (Bruno) e T.S.F (Thauan). O primeiro por ROUBO QUALIFICADO e o segundo por POSSE ILEGAL DE ARMA DE USO RESTRITO, TRÁFICO DE DROGAS E RECEPTAÇÃO.


Os indivíduos foram presos e os celulares recuperados no Parque JK, em Luziânia-GO, por volta das 11 horas da manhã.

A equipe de agentes PC-GO recebeu informação de que haviam ocorrido diversos roubos em paradas de ônibus e que os responsáveis provavelmente ainda estariam na cidade.

Desse modo, foram realizadas diligências com intuito de localizar os meliantes. Os PC's identificaram a casa que era usada para a guarda dos objetos roubados, ocasião em que foi realizado o adentramento tático e, no quarto de Thauan, foram localizados 16 celulares roubados, bem como uma arma de fogo cal. 38 de numeração suprimida, 09 munições intactas, 300 gramas de maconha, duas porções de crack e diversos chips e cartões de memória de celular.
Na ocasião, Thauan, Bruno e um menor de idade entraram na residência e confirmaram as informações, razão pela qual foi-lhes dada voz de prisão.

Dentre os celulares encontrados faltavam alguns outros também roubados. Após consultar com os indivíduos o paradeiro dos outros celulares, eles disseram que estavam escondidos numa mata próximo à residência.

Até o presente momento 03 vítimas reconheceram os criminosos e os pertences foram devolvidos aos proprietários legais.

Participaram destas ações os agentes de polícia civil RAUL PRADO, EDMAR VIEIRA e FABIO SILVA, cooedenados pelo delegado FREDERICO GAMA.




Um morre e dois fogem, após serem flagrados com carro roubado de policial, em Goiânia

Um morre e dois fogem, após serem flagrados com carro roubado de policial, em Goiânia

Ação aconteceu em mata atrás de faculdade, no Parque das Laranjeiras: três batalhões trabalharam na perseguição, que resultou com duas trocas de tiros, mas dois ainda fugiram

FONTE/ Mais Goiás |
(Reprodução / Vídeo do leitor)

Um homem ainda não identificado morreu, após uma troca de tiros com a Polícia Militar, na tarde desta segunda-feira, 18. Um sargento encontrou o próprio carro roubado, na região do Parque das Laranjeiras, em Goiânia, quando começou a perseguir o veículo. Três homens que estavam dentro do automóvel perceberam ser seguidos, e começaram a fugir e atirar. Após duas trocas de tiros, um deles morreu, e os outros dois conseguiram fugir; buscas estão sendo feitas no local.


 Palavras Chave: Confronto Polícia Militar Goiânia

FOTOS ON LINE

ACIOLLYVERSATIL@HOTMAIL.COM